Uncategorized

Traiano libera hospital de campanha, 20 mil telhas e recursos para Ipiranga

traiano e caputo

O governador em exercício, Ademar Traiano (PSDB), passou o final de semana e o feriado ocupado com providências para socorrer as populações atingidas por vendavais nas cidades de Ipiranga e Borrazópolis. Traiano visitou Ipiranga no domingo para verificar pessoalmente os estragos provocados pelas chuvas, conversou com vítimas do vendaval, e determinou a instalação de um hospital de campanha para atender os feridos.

Traiano se disse impressionado com os estragos produzidos pelo vendaval na cidade. “Ninguém foi poupado. Desde residências até todos os prédios públicos foram atingidos pela força do vendaval. Estamos tomando todas as providências possíveis para reduzir o sofrimento das populações atingidas”.

Embora os maiores estragos tenham sido registrados em Ipiranga e Borrazópolis, boletim da Defesa Civil, avalia que a chuva de granizo e vendavais afetaram 9.838 pessoas em 17 municípios.

Hoje (13) Traiano reuniu-se pela manhã com o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, e liberou R$ 500 mil, da Secretaria da Saúde, para Ipiranga. Também coordenou a distribuição 20 mil telhas de Eternit para distribuir na cidade que teve quase 50% das residências destelhadas ou destruídas pelos ventos. O vendaval deixou 1780 famílias desabrigadas em Ipiranga. Ainda hoje deve ser decretado o estado de calamidade, dispositivo que permite a liberação de recursos emergenciais sem delongas burocráticas.

Os vendavais atingiram principalmente as cidades de Ipiranga e Borrazópolis no final da tarde da última quinta-feira (8) e provocaram estragos de grande porte. Em Ipiranga os prejuízos atingiram quase metade da população de 7 mil habitantes. Traiano determinou que além da distribuição das 20 mil telhas de Eternit, a razão de 40 telhas por família, sejam solicitadas mais 50 mil telhas do governo federal.

Começaram a chegar à cidade os primeiros caminhões da defesa civil com os “kit-camas” (colchão, edredom, lençol e travesseiro) para atender aos desabrigados. Além de destruir a cobertura de quase duas mil casas o granizo deixou mais de 30 pessoas feridas em Ipiranga.

1 Comentário

  1. Parreiras Rodrigues Responder

    Nenhuma atitude concreta – médio e longo prazo, para controlar, combater ou minimizar as causas. Cubram-se as casas hoje e nobvas tormentas virão para destelhá-las novamente.
    Ninguém, nem governo, nem agricultor, fala em quebra-vento. Pensa que é enfeite.
    Ô vesguice!

Comente