Uncategorized

Senadores do Paraná aumentam os gastos

gastos-senadores_02
Da Gazeta do Povo

Os três senadores paranaenses aumentaram os gastos com seus gabinetes de 2014 para 2015. O maior aumento porcentual foi do senador Alvaro Dias (PSDB), que elevou os custos em 38%. Mesmo assim, porém, ele continua tendo o gabinete mais “barato” dentre os três paranaenses. Os maiores gastos em 2015 foram os de Roberto Requião (PMDB), com R$ 413,1 mil.

Alvaro Dias tem 31 funcionários, sendo 24 em Brasília e sete no Paraná – só dois são concursados. Dos 33 funcionários de Requião, 18 estão lotados no Paraná e seis são concursados. A reportagem tentou localizar os três senadores por telefone celular ou por meio de suas assessorias para comentar os valores, mas não obteve contato até o fim da tarde de terça-feira (5).

O cálculo feito pela reportagem, a partir de informações oficiais na página do Senado na internet, inclui o “cotão”, usado pelos senadores para ressarcimento de despesas de vários tipos, e a rubrica “outros gastos”. No primeiro item entram, por exemplo, gastos com passagens aéreas e com divulgação das atividades do mandato. No segundo, entram viagens oficiais e combustíveis, por exemplo.

No total, o gabinete de Alvaro Dias usou R$ 131,1 mil de recursos (isso não inclui o pagamento de salários) durante o ano. O gabinete de Gleisi Hoffmann (PT) gastou R$ 350,8 mil. E o de Requião (PMDB), R$ 413,1 mil. Somados, os três gabinetes consumiram R$ 895,1 mil, o que resulta em um aumento geral de gastos de 21% – o dobro da inflação no mesmo período.

A senadora petista foi a que mais gastou com passagens aéreas durante o ano entre os três paranaenses. Foram R$ 114 mil em deslocamentos aéreos da janeiro a dezembro, contra R$ 91 mil de Alvaro Dias e R$ 84 mil de Roberto Requião.

A senadora também foi quem manteve mais assessores em seu gabinete, com 40 funcionários à disposição, sendo 13 em Brasília e 27 no escritório paranaense. Desses, 36 são comissionados e quatro são concursados.

Além dos gastos indenizados, os senadores também têm direito a uso de um imóvel funcional ou a um auxílio-moradia. No caso dos paranaenses, apenas Alvaro Dias não usou nenhum dos dois benefícios. Requião e Gleisi ocupam imóveis funcionais, mas não recebem o auxílio-moradia.

5 Comentários

  1. Só falta vir com o papo de colocar só funcionário concursado.Ai aumenta mais as despesas. E a tendencia e aumentar estamos em ano eleitoral.

  2. Milton Luís Pereira Responder

    O boquirroto gosta de gastar dinheiro público!Tem um grande apetite pelo ile de France,por viagens internacionais,tudo patrocinado pelo dinheiro público!É uma vergonha!!!

  3. Não me interessa qual partido político mas temos um representan-
    te cada um (PMDB, PT E PSDB). Todos sem exceção gastam o
    que podem e não podem. Este é o país dos políticos e empresários
    que nadam na corrupção. O negócio deles é ganhar dinheiro e o
    povão que se danem. Para que serve o povão ? na hora da eleição
    e nos outros 364 dias por ano que vão passar fome !!!

  4. Eduardo, o aritmético Responder

    ESSA TURMA DA GAZETA COMEU BOLA.

    Ora pois. Gastar 413 mil por ano significa um gasto de 34 mil por mês. Não é nada.
    Agora o principal da matéria que é o gasto com aproximadamente 30 funcionários, por senador, que em media ganham 12 mil reais por mês, o que significa um gasto mensal de 360 mil e anual de 4 milhões e 300 mil é muito mais grave.
    Fora os impostos, obrigações sociais e trabalhistas.
    O numero é muitíssimo maior do que 413 mil que foi o destaque da matéria.

  5. A TV 15 do senador Requião é pago com o dinheiro do senado. O ex careca das rodovias, mas ainda careca, Cesar Setti, ganha quase 15.000,00 mensais para cuidar disso para o Pinoquião.

Comente