Uncategorized

Países com zika devem permitir aborto, diz ONU

Comissariado de direitos humanos afirma que políticas que dificultam a interrupção da gravidez devem ser repelidas

Samantha Lima, Época

Quatro dias depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar emergência de saúde pública internacional pelamicrocefalia e sua possível associação ao vírus zika, foi a vez de Organização das Nações Unidas se pronunciar sobre o tema. Em entrevista em Genebra, na Suiça, o comissário da ONU para Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Houssein, defendeu que mulheres em países atingidos pelo surto da doença tenham acesso ao aborto seguro e a serviços de saúde sexual e reprodutiva.

Políticas que dificultam o acesso de mulheres a tais serviços, em países afetados pela Zika, devem ser “repelidas” e “revistas”, e “passos concretos devem ser dados” para que mulheres possam se informar e buscar serviços para que exerçam “o direito de determinar se e quando querem engravidar”, disse Al Houssein.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cada ano acontecem 21,6 milhões de abortos clandestinos, que põem em risco a saúde de mulheres em todo o mundo – 5 milhões delas são hospitalizadas para tratar das consequências; 3 milhões não conseguem nem mesmo atendimento médico para cuidar das sequelas. A maior parte dos casos acontecem nos países em desenvolvimento. A África, segundo a OMS, concentra dois terços das quase 50 mil mortes anuais causadas por abortos clandestinos.

“Apoiar os direitos humanos é essencial para uma resposta de política pública efetiva, e isso requer que governos garantam que mulheres, homens e adolescentes tenham acesso a irrestrito e serviços e informação de qualidade relacionados a saúde sexual e reprodutiva, sem discriminação”, diz Al Houssein. De acordo com as Nações Unidas, serviços de saúde sexual e reprodutiva abrangentes englobam o acesso à contracepção, incluída a contracepção de emergência, cuidados com as mães e “aborto seguro previsto em lei”.

“Serviços de saúde devem ser oferecidos de forma que garantam à mulher informações adequadas para que tome uma decisão, respeito à dignidade, privacidade e responda a suas necessidades e perspectivas. Leis e políticas que restrinjam o acesso a esses serviços devem ser urgentemente revistos, em linha com os direitos humanos, de forma a garantir o direito irrestrito à saúde, na prática”.

O comissário da ONU criticou o conselho dado por alguns governos na América Latina para que mulheres adiem os planos de gravidez, quando não há uma política de serviços de saúde reprodutiva adequada. “Controlar o avanço da ZIka é um grande desafio para os governos da América Latina. No entanto, o conselho ignora a realidade de que muitas mulheres e meninas simplesmente não podem exercer controle de quando e se, ou sob quais circunstâncias engravidam, especialmente em um ambiente onde a violência sexual é comum”.

Segundo Al Houssein, em países afetados pela Zika que têm leis restritivas aos direitos reprodutivos, “a situação que mulheres e meninas enfrentam torna-se alguns graus mais dolorosa”.

2 Comentários

  1. Esquerdistas e delinqüentes em festa.
    Bom, quem é All Houssein? Um milionário jordaniano, muçulmano. Fala a respeito de direito das mulheres, e todo aquele papinho de sempre. Mas, nunca reclamou sobre o direitos humanos das mulheres não serem apedrejadas, não serem chicotadas, nem nada disso.
    A delinquência que este tema promove é chocante.
    A verdade é, a ONU é cheia de velhos insanos, corruptos e ditadores. Suas teses, e de seus braços são normalmente estúpidas, e visam sempre o total domínio do Globo.
    Por que ao invés da delinquência midiática, de “cientistas e outros especialistas”, de um STF canalha, de artistas.e intelectuais,este povo que quer o aborto não aprende a debater, não cobra que está pauta vá para o Congresso?(órgão legislativo).
    Não o fazem pois são covardes e delinqüentes, não fazem porque a maioria da população não apoia(por isso as notícias, a intromissão de vigaristas estrangeiros, etc), para fazer o brasileiro engolir estas m, sem reclamar.

    Os políticos, por mais vigaristas que sejam, não são idiotas. Eles sabem que temas assim, se votados, podem fazer com eles percam seus votos,(eles conhecem seus eleitores), e o STF não pode(se bem que tentam, sem serem eleitos e sem respeitar a CF) legislar. O PT e seus micos amestrados, com ajuda da OAB, ainda não conseguiu o voto em lista.

    Por isso este tema não vai ao Congresso. Simples assim. Porém, os delinqüentes estão tentando. Não passarão.

  2. Os abortistas satânicos arrumaram um subterfúgeo(o vírus Zika) para difundirem a eugenia.O objetivo final dessa gente é a liberação total do aborto…

Comente