Uncategorized

“Temos que passar a limpo o país”, diz Richa

índice
Em Maringá, o governador Beto Richa (PSDB) afirmou que o momento exige uma correção nos rumos do Brasil. “Temos que passar a limpo o País, por isso eu acho que é muito correta esta operação que ocorre, em todas as suas fases, cada vez surpreendendo mais com novas denúncias de escândalos de corrupção. Mas que se ponha um fim a isso e, se comprovando a responsabilidade de muitas pessoas, que sejam punidas de forma exemplar para que isso não aconteça mais no nosso País”, avaliou. As informações são de Murilo Gatti n’O Diário de Maringá.

Questionado sobre o fortalecimento do coro do PSDB em relação ao impeachment da presidente, após a investigação sobre Lula e a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT), Richa considerou que “sem dúvida nenhuma, cada nova denúncia fortalece o pedido de impeachment e também estas novas delações e depoimentos de dinheiro desviado para a campanha podem fortalecer as ações no Tribunal Superior Eleitoral de cassação de uma chapa, se forem comprovados que os recursos foram desviados para a campanha eleitoral sem a devida contabilidade”, analisou.

Dos deputados federais que representam Maringá, Edmar Arruda (PSC) foi o mais incisivo nas críticas e na defesa do afastamento da presidente. “Acho extremamente positivo que tenha chegado nele (Lula) e na Dilma. E podemos esperar novos desdobramentos e outras delações. O empresário Léo Pinheiro (OAS), deve fazer a delação e mais gente irá atrás. A substituição do governo é algo necessário, fundamental. Precisamos disso para que o País volte à normalidade, pois não temos mais condições de ter um ambiente político para que a economia retome”, diz.

Arruda faz ainda uma observação importante, de que os deputados precisam do apoio popular para que o impeachment ganhe força. “Espero que no dia 13 de março a população vá para a rua. Temos 65% dos brasileiros a favor do impeachment. É preciso que haja mobilização para dar respaldo ao Congresso, uma sinalização clara da população para ter legitimidade.”

O deputado federal Luiz Nishimori (PR) ressaltou a importância da democracia brasileira, o que tem permitido que as denúncias e as delações ocorram. “É um País democrático. E mesmo a atual presidente da república, se tiver culpa, tem que pagar”, afirma. Sobre o impeachment, Nishimori ressalta a importância do povo no processo. “Depende da população, da voz das ruas. Os deputados e os senadores vão analisar a cassação, mas somos representantes do povo, que pode decidir pelo impeachment . Precisamos nos unir e ver o que é melhor para o Brasil”.

Vice-líder da presidência no Congresso, Ricardo Barros (PP) fez uma análise mais moderada. “São fatos novos, relevantes para a política. Estamos aguardando o desenrolar deste processo. O Lula deu a sua versão dos fatos. Penso que depois da convenção nacional do PMDB (marcada para 12 de março) poderemos ter fatos novos, como o posicionamento do partido pelo afastamento. Esses últimos fatos vão facilitar o discurso da oposição”.

Enio Verri (PT), que acompanhou o discurso de Lula na sede do partido, em São Paulo, saiu em defesa do ex-presidente. “Ele sentiu-se um prisioneiro, pois foi chamado de forma coercitiva, mesmo após ter sido ouvido três vezes pela Polícia Federal. Isso é uma demonstração clara de que o Moro (juiz federal) tem lado e politizou a Lava Jato. Fizeram a condução para perguntar sobre o barco da Marisa e os pedalinhos da chácara. É um absurdo, um show midiático. Não acredito em coincidências. A delação e o caso midiático são para preparar o terreno para 13 de março, quando as manifestações seriam vazias”.

(foto: Orlando Kissner/ANPr)

7 Comentários

  1. Cadeia no Lula e caterva! Cadeia nos gafanhotos! Cadeia nos zelotes! Cadeia nos publicanos! Cadeia nos quadro negro! Tem que desmantelar todas essas quadrilhas, seja na União, nos estados e.nos municípios, vai sobrar pouca gente

  2. Quaquaqua!!!
    Só pode ser brincadeira do Richa.
    Temos que começar passando o Richa a limpo, ou melhor tirando o Richa, seu irmão, seus parentes e por aí vai.
    Ele acha que somos idiotas?

  3. Esse é da escola de Aécio e demais tucanos envolvidos nos mais variáveis escândalos inclusive ele aqui no Paraná é muita cara de pau.

  4. Que moral o governador tem para falar de corrupção?
    Que tal explicar os escândalos dos auditores da Receita Estadual, reformas das escolas estaduais, renovação dos contratos de pedágio, fundo de pensão dos servidores estaduais….

  5. Nico do Salão Responder

    Melhor piada que esta só a do Papa perguntando pro prefeito o que vai fazer por Curitiba.
    O prefeito disse: o METRO e o Papa disse………………………………………………………………………………………………………………………não consegui falar de tanto rir.

Comente