Uncategorized

‘Moro traçou plano de criminalização da política’, diz Wagner

moro2

O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, afirmou nesta segunda-­feira, 14, que o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na primeira instância, pretende “criminalizar a política”. Para ele, o magistrado foi “o rei da festa”, em referência aos protestos de anteontem pelo País. As informações são de Carla Araújo, Tânia Monteiro e Vera n’O Estadão.

O ministro reconheceu o vigor das ruas nos atos contra o governo, mas destacou que os líderes de oposição também foram hostilizados, que as manifestações foram “produzidas” e “patrocinadas por empresas” e, além disso, afirmou que aqueles que foram às ruas ainda são majoritariamente eleitores do tucano Aécio Neves, derrotado por Dilma em 2014. “O Aécio achou que ia chegar lá como rei da festa, mas o rei da festa foi o Moro (Sérgio)”, declarou Jaques Wagner. “Quem tentou faturar em cima da manifestação, não conseguiu”, completou.

Segundo ele, o fato de dirigentes de oposição terem sido hostilizados no protesto preocupa o governo federal e “acende a luz amarela” para toda classe política. Em sua avaliação, a negação da política é “altamente perigosa” e pode gerar a “criminalização da política”. “Pelo andar da carruagem, nós estamos nos preparando para um salvador da pátria. Como não acredito nele, acho que estamos nos preparando para a criminalização da política”, disse.

Wagner reconheceu que “não dá para banalizar” o instrumento democrático do impeachment, mas afirmou que a democracia pode estar em risco. “Impeachment não é remédio nem para arrumar a economia nem para tirar uma presidente por causa de impopularidade.” O ministro disse ainda que “sem desmerecer” o clamor das ruas, é preciso destacar que “nunca tivemos uma manifestação tão produzida”.

Questionado sobre quem teria bancado os eventos, Wagner afirmou que “federações, comércios e muita gente ligada à oposição que investiu”. “A convocação dentro de fábrica e mais um monte de coisas. Catraca livre, a mudança do jogo de futebol. É quase um apelo de “estou liberando tudo para você ir lá””, declarou. “Não estou desmerecendo por conta disso, mas, pelo amor de Deus, não me venham falar que espontaneamente as pessoas foram. Quero chegar no ponto de equilíbrio.”

Para o ministro da Casa Civil, o empresário está cansado da indefinição e desde janeiro de 2015 “a oposição tem uma agenda única: impeachment, impeachment, impeachment”.

Comparações. O governo rechaçou as comparações dos atos de domingo com os protestos das Diretas­-Já, dizendo que essa análise “é absolutamente indevida”. “Do ponto de vista motivacional, é totalmente diferente. Naquela, a gente tentava construir a possibilidade de retorno da democracia. Nessa aqui, a gente tem uma agenda que considero sempre negativa, porque ela não tem uma proposição, ela tem uma ‘tira fulana’ e pronto. Isso não vai resolver o problema do Brasil”, afirmou.

Ele também ressaltou que o processo de impeachment da presidente Dilma não pode ser comparado com o do ex-­presidente Fernando Collor de Mello. “É péssima essa comparação.” “Ali havia efetivamente caso de corrupção ligado à Presidência, o que não é o caso agora. Não tem nenhum crime de responsabilidade atribuído à presidente Dilma, o processo está sendo muito mais político, de tentar consertar a economia com impeachment”, completou.

Afastamento. Wagner reconheceu que as manifestações devem ter animado a oposição a trabalhar pelo afastamento de Dilma, mas reforçou que o governo continua confiante que tem os 172 votos para barrar o apoio do processo ainda na Câmara dos Deputados. “Acho que teremos mais do que isso.”

Para o ministro, Eduardo Cunha, presidente da Casa, se move “por raiva”. Na opinião do ministro, o deputado atribui à presidente Dilma responsabilidades sobre as investigações contra ele. “Ele acha que foi a presidente Dilma quem o atrapalhou, como se ela tivesse poder sobre a Polícia Federal, o Supremo Tribunal Federal ou o Ministério Público. E o troco que ele quer dar é: ‘a senhora vai antes de mim’”

15 Comentários

  1. Nico do Salão Responder

    Rapaz,…você tem uma cara de cangaceiro…..e dos .b.rabo.

    Pena que o Lampião não ta por ai, nem a Maria Bonita.

    J.W, nome difícil e escrever, ceis tão perdidinho da silva.

    Corre rataiada.

  2. Doutor Prolegômeno Responder

    A politica e o crime sempre andaram de mãos dadas. Sempre que se encontram se lambuzam na fornicação. Mas, foi o lulopetismo que tornou fez da política um meio para estabelecer uma organização criminosa sem precedentes na história recente da civilização, numa escala tão colossal, que torna os mafiosos, e outros do gênero, criminosos comuns.

  3. Bando de vagabundos. A facção criminosa do PT comandada por LULA DA SILVA, estava fazendo aqui no Brasil o que a Mafia Italiana a Cosa Nostra fez no início na década de 1970 iniciando como “máfia-empreendedora” depois “máfia-financeira” através de corrupção em obras públicas. Lá na Itália os mafiosos, entre os anos de 1940 e 1990, passaram a controlar as eleições na Sicília, tornando-se a maior e mais poderosa Máfia, com aproximadamente 180 clãs. Pois bem, aqui no Brasil, a quadrilha do PT, já esta maior e mais poderosa do que a Máfia Italiana. CADEIA neles Sergio Moro. Vossa Excelência esta representando o povo brasileiro com estilo, integridade e imparcialidade. CADEIA neles.

  4. JAQUES WAGNER ESTA TOTALMENTE ERRADO O PT É QUEM DESENVOLVEU TECNICAS DE DESVIO DE RECURSOS PUBLICOS DE FAZER INVEJA A QUALQUER DITADOR AFRICANO ,NEM O FAMOSO Jean-Bédel Bokassa CONSEGUIU ROUBAR TANTO NEM ACABAR COM O PAIS COMO O PT FEZ.
    CAUSARIAM INVEJA A Don Vito Antonini Corleone QUE PASSOU A SER TROMBADINHA SE COMPARARMOS COM A ESTRUTURA PETISTA, QUE MAIS PARECE UM BURACO NEGRO QUANDO PENSAMOS QUE CHEGOU AO FIM APARECE MAIS. O QUE O PT E FEZ É MOTIVO DE INVEJA A QUALQUER MORADOR DA PAPUDA ,E DE PENITENCIARIAS FEDERAIS QUE APARTIR DE AGORA PASSAM A SER DENOMINADOS SIMPLES AMADORES.

  5. Rockeiro das Antigas Responder

    Senhor Ministro Jaques Wagner: Contrapondo às suas declarações, afirmo exatamente o contrário em relação a espontaneidade das manifestações. Preste atenção ministro em todas as fotos publicadas na imprensa de todo o país e veja se tem algum ‘maestro’ regendo algum grupo de pessoas. Só o que se vê são brasileiros de todas as faixas de idade representando unicamente a si mesmos, ungidos com as cores do Brasil. Aliás, bem ao contrário das manifestações do seu partido que têm sempre os ‘animadores da torcida vermelha’ à frente dos demais manifestantes, gritando palavras de ordens e comandando a turba. Quanto à criminalização da política, ela não vai acontecer nos termos que o senhor declarou. O que vai acontecer, e muito logo, é a criminalização dos políticos corruptos que afundaram o nosso país na situação em que se encontra: uma nave à deriva, ou seria um pedalinho? É só prestar atenção e ver as coisas com isenção. Exatamente o que não vem acontecendo com seu partido e com o Governo do qual o senhor faz parte e ainda tenta defender, como no ato de ligar à Presidente e pedir que ela de um ministério a Lula para fugir da prisão e da Justiça comum a milhões de brasileiros. Parodiando o saudoso Renato Russo no seu famoso verso – “Que país é esse?” – eu diria: – “Que Governo é esse, senhor Ministro?”

  6. Quem criminalizou o PT foram seus próprios membros quando roubaram sem dó.

    Não culpe os outros pelo que vocês mesmos fizeram.

    Sergio Moro julga crimes. E estes foram praticados pelo PT. Logo, este é criminoso sim. Sempre foi. Sempre foi quadrilha. Agora só ficou mais evidente, só isso!

  7. QUANDO UM MERITÍSSIMO Sr. JUIZ TRATA COM QUADRILHEIROS, ESTE “verme petita” QUERIA QUE O Dr. SÉRGIO MORO OS TRATASSEM DE QUE MANEIRA? CANA PRA TODOS ELES, PRINCIPALMENTE PRO “chefe” DOS corruPTos DO pt, CONHECIDO PELA “alcunha de lula”.

  8. imauricioprofeta Responder

    Quem viu e vê hoje este partido cuja alcunha chamam de PT(perda total),deve estra estarrecido com tantas mentiras,canalhices,roubalheiras dos impostos que os brasileiros de bem e de honra pagam ao governo e eles ficam querendo dár uma de vítimas,Cadeia neles,cambada de ladrões do dinheiro da população e ainda têm gentalha que defendem estas quadrilhas,formadas pelo Chefe,e seus discipulos tais como :João Vaccari,Delúbio Soares,José Dirceu,Genuíno,Silvinho,Palloci,João Paulo Cunha,Delcídio do Amaral,André Vargas etc,etc,etc Erenice Guerra, etc,etc

  9. Sergio Silvestre Responder

    Se o Moro acabar com o Brasil e acabar com todas empresas e politicos,só vai sobrar o pobre que nada tem e come qualquer coisa e sabe plantar.
    Mas a coxaiada ai vão todos morrer de fome e perder seus altos salarios,e ai vou rir pra carlho

  10. O PT virou fumaça e se foi. Apenas os pouquíssimos idiotas conti-
    nuam vestindo a camiseta vermelha e defendendo o indefensável.
    Este Wagner é um outro político que não serve para nada. É o fa-
    moso distribuidor de milhões para comprar carne seca para o MST
    quando acamparam em Salvador. É um verdadeiro protetor de ba-
    derneiros.

  11. Se Wagner acha que o Juiz Moro criminalizou a política, seja macho
    e vá discursar diante da multidão que tomou conta das passeatas
    pelo Brasil. Pirou !?

  12. Luiz Carlos Giublin Junior Responder

    Esse Wagner mostra que é apenas mais um patife petista. Acusa Moro d “criminalizar a política”. Meu Deus! Os petistas continuam mentindo e tentando enganar a todos. Moro apenas esta cumprindo seu dever. Quem criminalizou a política foi o maldito PT que montou uma quadrilha de ladrões, que descaradamente assaltaram os cofres públicos para abastecer seu projeto gramscista de poder. Tomar o poder aos poucos e quando o povo acordasse já seria tarde. Mas o projeto de poder do PT foi para o esgoto, como todos os seus dirigentes e seguidores fanáticos. Agora sabemos o que representavam aqueles ratos comendo a bandeira nacional na propaganda do PT em 2002…….

  13. Sérgio Moro não é herói.
    Ele só está fazendo o que qualquer magistrado sério deste país deveria fazer. Atuar incessantemente afim de que as leis sejam cumpridas e os culpados, julgados de maneira justa, sejam encarcerados. Somente isso. Se cada servidor, em quaisquer dos poderes fizesse isso, não estaríamos nessa situação caótica em nosso país. Ocorre que para cada contrato, certidão, acesso, temos que dar um pouco do nosso suado dinheirinho para adiantar algo que é direito nosso. E o pior… nos sujeitamos a isso de uma forma muito natural, achando que somos esperto e que só estamos nos beneficiando sem prejudicar ninguém.
    Mentira!!!!!
    Qualquer falcatrua, por menor que seja, faz parte desse mesmo saco maldito de corrupção que permeia nossa Nação.
    Ao que parece, Sergio Moro é quem tem tido coragem para falar e agir a respeito.
    Basta ouvirmos a voz das ruas… mais manifestantes na parada gay do que contra a corrupção.

  14. Bem pra mudar o brasil temos que ter leis mais fortes e mais poderosa ,um esquadrão da morte pra fazer uma faxina nas ruas e nas cadeias eliminando aquele vagabundo que não tem mais jeito e toda vez que haver um assalto a cara dos vagabundos serão mostrada a população assim iremos saber aonde e com quem devemos estar atento, troca de políticos passando um pente fino em cada um deles, e uma lei proibindo na politica apresentador de programa cantor palhaço e etc. todos políticos devem ser estudado e diplomados. E devemos apoiar policial que luta para o povo

Comente