Uncategorized

‘Coalizão’ com parte do PMDB pode barrar impeachment, avalia Lula

da Folha de S. Paulo

Em entrevista coletiva a veículos internacionais nesta segunda-feira (28), o ex-presidente Lula defendeu que o governo pode buscar uma “coalizão” com a parte do PMDB que ainda apoia o governo para barrar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“Quando eu ganhei as eleições, em 2003, em um primeiro momento o PMDB não me apoiou, mas uma parte do PMDB na Câmara me apoiava, uma parte do PMDB do Senado me apoiava e nós conseguimos governar”, disse. “No segundo mandato, fizemos um acordo com o PMDB e teoricamente o partido decidiu me apoiar. Ainda sim a gente nunca teve todo o apoio de todo o PMDB. Em vários estados o partido não quis apoiar o governo”.

“Acho que vai acontecer [com o impeachment] o que aconteceu em 2003. O governo vai construir uma base parlamentar com o PMDB e vamos ter uma espécie de coalizão sem a concordância da direção”, resumiu.

Apesar dessa possibilidade, Lula disse que vê “com uma certa tristeza” o desembarque da legenda do governo Dilma e afirmou que, pelo que sabe, ” os ministros não sairão do governo”.

Segunda a Folha apurou, a entrevista desta segunda foi motivada por um incômodo no partido em relação a manifestações de várias publicações, como a revista “The Economist”, de que seria o momento de Dilma deixar o governo. Ao lado dele está o presidente do PT Rui Falcão. Também participam do evento os diretores do instituto Lula Paulo Okamotto e Clara Ant.

6 Comentários

  1. ELES PODEM BARRAR, O PMDB, COM CERTEZA ESSES NUNCA MAIS VÃO SE ELEGER. OS BRASILEIROS NÃO SUPORTA MAIS, E FIM …

  2. Interessante que o PMDB apoiou o PT durante 13 anos,
    aliás o PMDB sempre foi governo! Agora no apagar da vela
    têm quele que acha que pode mudar alguma coisa se ficar com Dilma! Eles não estão pensando no povo, de fato nunca pensaram! Estão preocupados é com seus cargos! Se com 13 anos não fizeram nada não é agora que vão fazer!

  3. A esperança é a última que morre, mas se o 51 não conseguir convencer estes “rebeldes” fica sem o emprego de ministro. E a querida amiga sem o de presidenta.

  4. Larry de Camargo V Nascimento Responder

    Devia estar bebado quando falou esta asneira aliás, sóbrio seria surpresa.

  5. Nessa coletiva, a mídia golpista ficou de fora. Mas uma coisa é certa: a logística de um evento desses não é barata. O PT, porém, tem reservas de sobra. Há tanto dinheiro acumulado em 13 anos que tá até saindo pelo ladrão!

Comente