Uncategorized

PMDB rompe com o governo Dilma Rousseff

romero-juca2

O Globo

A reunião que confirma o rompimento do PMDB, o maior partido de sustentação da base aliada, com o governo, começou em clima de euforia entre aqueles que defendem o desembarque. Até o momento, os políticos mais alinhados ao governo ou aqueles que ainda tinham dúvidas sobre o momento adequado para dar este passo, não compareceram. O rompimento foi aprovado em três minutos.

Figuras emblemáticas do rompimento, como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o vice-presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR) e o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) chegaram ao local da reunião do Diretório Nacional, na Câmara, estampando sorrisos no rosto. Jarbas resumiu o espírito do encontro desta tarde, dizendo que há mais de 15 anos não via o partido tão unificado:

— Lula, Dilma e o PT conseguiram unificar quase que na totalidade o partido contra o governo. Na minha história, não vi nenhum ato tão próximo da unanimidade no PMDB como este — afirmou.

Romero Jucá, que conduz a reunião no lugar do vice-presidente Michel Temer — que preferiu não comparecer para evitar ser carimbado como “capitão do rompimento”, afirmou que a decisão se dará por aclamação para não expôr nenhum peemedebista que eventualmente seja contrário à decisão majoritária. Segundo Jucá, a saída dos agora seis ministros do PMDB do governo será ditada pela “consciência” de cada um.

Filha do ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), a ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, afirmou que veio à reunião para acompanhar a decisão do PMDB pelo desembarque. Sarney foi procurado pelo ex-presidente Lula para tentar evitar o rompimento.

— O timing de saída está certo. Estou aqui acompanhando a decisão que o partido for tomar — disse.

6 Comentários

  1. Ney Camargo Machado Filho Responder

    ” Somente lobos caem em armadilhas de lobos. . . – leciona o Evangelho de Jesus.( “Vida Feliz”), Joanna de Ângelis/ Divaldo Pereira Franco.

  2. PMDB é Crowley ou Castiel? Não importa, no final vão voltar a ser amigos, e o partido que se uniu ao desertor vai ser apunhalado pelas costas.

  3. Ney Camargo Machado Filho Responder

    A palavra crise vem sendo pronunciada constantemente por todos no Brasil. De fato, o momento é de crise inegável nos mais variados campos da atividade humana, a existência desta turbulência, é para que possamos extrair as lições para nosso amadurecimento.
    Na crise da solidão, aprendamos a ser mais solidários.
    Na crise econômica, aprendamos a viver com mais simplicidade.
    Na crise ética, tenhamos posturas mais justas.
    Na crise do preconceito, aprendamos a respeitar mais os irmãos que pensam diferente de nós.
    Na crise espiritual, fiquemos mais perto de Deus ple fé e oração.
    Na crise do ressentimento, perdoemos um pouco mais.
    Na crise da saúde, guardemos mais equilibrio em nossas atitudes.
    Na crise do amor, deixemos o nosso coração falar mais alto do que o egoísmo.
    Momento de crise é momento de um passo adiante..
    Retroceder, rebelar ou estacionar, nunca. A crise pede avanço. E se a crise chegou para cada um de nós, é hora de levantar, mudar e seguir em frente na construção de um novo tempo de amor e paz.

  4. Karamba, será que o requiãozinho filhote vai devolver seu carguinho de conselheiro na Itaipu? kkkkkkkkk

  5. Karamba, será que o requiãozinho filhote vai devolver seu carguinho de conselheiro na Itaipu? kkk

Comente