Uncategorized

Lewandowski poderá não presidir o julgamento

Lewandowski foto tânia rego abr
Se a oposição não quer ouvir falar no ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, presidindo a sessão de julgamento da presidente Dilma Rousseff, terá de torcer para que esse “ato final” do impeachment ocorra apenas a partir de 14 de setembro, data da posse da futura presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. O mandato de Lewandowski na presidência da Corte expira no dia 10 de setembro. A informação é do colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder.

O Senado terá 180 dias para julgar Dilma. Se ela for afastada em 4 de maio, como previsto, o julgamento terá de ser feito até 4 de novembro.

Aprovado na Câmara, o impeachment será instaurado após o referendo do Senado, por maioria simples, o que deve ocorrer no dia 4.

Em 1992, Fernando Collor foi julgado após 90 dias. Nesse prazo, Dilma seria julgada em 2 de agosto. Com Lewandowski presidindo a sessão.

Como esta coluna antecipou em fevereiro e Elio Gaspari escreveu ontem, Lewandowski pode se aposentar ao final da sua presidência.

2 Comentários

  1. 180 dias muito tempo, não suportamos mais essa gente, o desemprego, o pais paralizado. Meu Deus, o meu maior erro foi ter votado no Requião. Este cara é um egocentrico, não tem a mínima sensibilidade em enxergar a situação do Povo do país.
    A esclerose e a arrogância torna o semelhante ao Lula, acham que estao acima de todos.
    Logo estarão aposentados e desencarnados, cremados, isto deve ser carne dura, além do mais os vermes se provarem poderão sentir se os tais, logo querem abrir um sindicado e ser dono de partido e das consciencias alheias.
    Temos de amadurecer e fortalecer nossas instituições, a democracia e o espírito das leis tem de prevalecer, punição e rigor da lei aos corruptos

  2. Dionleno Silva Responder

    Se é pra não ter essa tranqueira petista presidindo o julgamento, vale a pena esperar. Carmem Lúcia tem algo que o lewandowski não tem: caráter.

Comente