Uncategorized

FHC diz que PSDB deve repudiar ‘com clareza’ fala de Bolsonaro sobre Brilhante Ustra

índice

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso criticou o posicionamento do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) durante a votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, no último domingo (17). Ele afirmou, por meio de um texto publicado em sua página no Facebook, que o “PSDB precisa repudiar com clareza essas afirmações, que representam uma ofensa aos cidadãos do país e, muito especialmente, aos que sofreram torturas”. As informações da Folha de S. Paulo.

“É inaceitável que tantos anos após a Constituição de 1988 ainda haja alguém com a ousadia de defender a tortura e, pior, elogiar conhecido torturador”, escreveu o ex-presidente.

FHC disse ainda que espera que os “trâmites legais sejam todos cumpridos, sem delongas”. “E quando chegar o momento da decisão dos senadores, que a votação se processe de forma conveniente, sem declarações estapafúrdicas como algumas que testemunhamos na Câmara dos Deputados.”

Antes de se declarar a favor do afastamento de Dilma, no plenário da Câmara dos Deputados, Bolsonaro prestou homenagens ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, a quem chamou de “o pavor de Dilma Rousseff”.

Chefe do DOI-Codi de São Paulo entre 1970 e 1974 –mesmo período em que Dilma esteve presa na capital–, Ustra é considerado o maior torturador da ditadura militar.

REAÇÕES

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) reagiu, nesta quinta-feira (21), às declarações de Jair Bolsonaro. Em nota, a instituição classificou a fala do deputado como “apologia ao crime”.

“A OAB repudia de forma veemente as declarações do deputado, em clara apologia de um crime ao enaltecer a figura de um notório torturador, quando da votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente República Dilma Rousseff”, afirmou em nota.

Nesta terça (19), A OAB do Rio anunciou que vai pedir ao STF (Supremo Tribunal Federal) a cassação do mandato de Bolsonaro.

7 Comentários

  1. Para quem elegeu o livro de Antonio Gramsci como livro de “cabeceira” como FHC o fez, não é de se espantar, foi mais um covarde que fugiu para o Chile para poder ter liberdade para fumar maconha, enfim, a história foi deturpada com relação ao período do regime militar, e a esquerdalha não perderia a oportunidade através de historiadores marxistas de aprontar !!! A esquerda muda o passado para projetar um futuro que lhes convém !! Dá-lhe Bolsonaro !!!!

  2. Osvaldinho Cartez Responder

    FHC, em boca fechada não entra mosquito.

    “Olha aqui seu sequestrador, o sr.acabou de atirar em varias pessoas, roubou um banco, incendiou uma casa, foi preso no local do crime,….só uma pergunta, pode ser?

    Onde estão os seus amigos que fugiram, onde moram, nome deles?
    Não sabe, não lembra…ah, não tem importancia.

    Quando você se lembrar, vocw fala, tudo bem?

    Agora, pode ir dormir, ah pegue seu pijama, sua escova de dentes, ah.. seu quarto é o da esquerda, o primeiro….ah.. outra coisa, tem leite quente na cozinha com chocolate e broa de milho.

    Boa noite seu bandido.

  3. E repudiar a fala daqueles petistas que homenagearam os bandidos Marighela, Lamarca e Che não vai? Dois pesos, duas medidas, pilantrão!!!

  4. Luiz carlos Giublin Junior Responder

    Apologia a torturador não pode, mas apologia a terrorista pode. Apologia a Lamarca e Marighela, que assassinaram inocentes e lutaram para implantar uma ditadura do proletariado pode. FHC respeite seu legado. Não a torturadores e não a terroristas. É tudo farinha do mesmo saco. Os dois atentam contra a dignidade humana.

  5. Feagacê deve é ele calar a boca, foi pelas mãos desse que o Foro de São Paulo se iniciou, depois desmantelou as Força Armadas para que o PT desse continuidade do plano diabólico de fazer o país chegar onde estamos nos dias de hoje.

Comente