Uncategorized

Ministério não importa, eles querem verbas

Ocupantes de sinecuras no ex-Ministério da Cultura, que controlam a liberação de verbas para “projetos culturais”, têm levado os artistas e intelectuais que frequentam seus guichês ao vexame de protestar pela preservação de boquinhas extintas com a incorporação do Minc pelo MEC. “Donos” de cargos-chave na Ancine, que “incentiva” a produção de filmes com dinheiro do contribuinte, orientaram cineastas a difundir a lorota de “golpe” nos recentes festivais de cinema de Lisboa e Cannes. A informação é do colunsta Cláudio Humbeeto, do Diário do Poder.

Alguns artistas exageraram, falando em “fim da cultura”, mas o objetivo do alarido é manter nos cargos-chave os amigos que controlam verbas.

Têm algo em comum os países de produção cultural exuberante, com maior número de Nobel e Oscar: neles não há Ministério da Cultura.

A fusão do Ministério da Cultura ao MEC oferece mais um pretexto que poupa os petistas de explicar a ladroagem nos governos Lula e Dilma.

Para não explicar no boteco, na escola ou no exterior os milhões nas contas de Lula & filhos, roubo à Petrobras etc, apregoam: “é golpe”.

5 Comentários

  1. Eleitor Curitibano Responder

    Cultura é bom quando tem dinheiro.A Dilma deu o que não tinha,chega disso.Os inteligentes da Cultura que repensem,e ajudem o pais,chega de depender do governo;trabalhem,façam parcerias com empresas.

  2. Nossa Gloriosa atriz Sônia Braga, não sabe mais nem em que continente fica o Brasil, mora lá fora, porém tem uma preocupação danada com o recursos que daqui emanam….Venham ver a realidade que este País enfrenta, os caus social, moral, político e econômico em que estamos mergulhados, pra daí saírem falando besteira para o mundo.
    O povo não quer mais PÃO E CIRCO Srs. atores a artistas! Basta!

  3. Antonio Carlos Responder

    Os artistas brasileiros desaprenderam o jeito de financiar os seus sonhos e projetos. Até a tal Lei Rouanet este povo punha o projeto, ou sonho, o que seja, debaixo do braço e saia pedindo financiamento. Depois do advento da Lei o artista punha o projeto, ou sonho ou o que seja, debaixo do braço e ai até o ministério da Cultura, contava quela era a sua filiação partidária, contava as suas convicções políticas e saia com a grana debaixo do braço. Fácil assim, ninguém cobrava nada e o cara fazia o que queria com a grana que recebia. Simples assim.

  4. A “boquinha” que os artistas ligados ao PT perderam devem ser
    canalizados para a saúde dos brasileiros. É uma grande pena que
    poucos políticos decentes ainda não entenderam que emprego e
    saúde são os requisitos mínimos de qualquer cidadão.

  5. -Esta questão de cultura no País beneficiavam artistas famosos e apaniguados do partido da estrela, sindicatos e ongs, apenas isso. A cultura propostas por estas pessoas era aceita pela cartilha do partido, apenas isso. Como por exemplo: como explicar uma peça teatral chamada “Macaquinhos”, que foi exibido no Sesc Patativa do Assaré, em Juazeiro do Norte, no Ceará. A performance mostrava um grupo composto por homens e mulheres totalmente nus, em círculo, explorando com as mãos o ânus do companheiro a frente. De acordo com os artistas Caio, Mavi Veloso e Yang Dallas, idealizadores do projeto, a apresentação tem o intuito de “ensinar que existe ânus, ensinar a ir para o ânus e ensinar a partir do ânus e com o ânus”. Isto é cultura???
    -Então leitores, vejam o exemplo acima, que a cultura brasileira está decadente. Não há dinheiro suficiente para resgatar a alta cultura, aquela clássica que tanto contribuiu para o mundo.

Comente