Uncategorized

Projeto do trem pé vermelho será atualizado

cida-borgbheti

O conselho gestor de concessões do Estado autorizou três consórcios de empresas a atualizar o estudo de viabilidade – finalizado em 2012 pela UFSC – para o Trem Pé Vermelho. A autorização é parte do programa de manifestação de interesse lançado no final do ano passado pelo governo com o objetivo de consolidar a implantação do trem de passageiros. A partir de agora, os consórcios receberam prazo de 120 dias para fazer os estudos necessários a atualizar o potencial econômico da região, bem como a demanda estimada para o transporte ferroviário de passageiros. As informações são de Murilo Gatti n’O Diário de Maringá.


Ao final do prazo, o governo espera que cada consórcio atualize os estudos e avalie a melhor alternativa, em termos de traçado e tecnologia, para dar continuidade ao projeto de implantação do Trem Pé Vermelho. Um dos pré-requisitos apresentados às empresas é que o trem faça a ligação entre Paiçandu e Ibiporã, mas também contemple uma ligação entre os aeroportos de Maringá e Londrina. Em Maringá, os projetos estão mais adiantados em razão do rebaixamento da linha férrea e dos futuros terminais Intermodal, no centro da cidade, e Multimodal, projetado para ser construído ao lado do aeroporto. Em Londrina, a passagem dos trilhos por dentro da cidade ainda terá de ser discutida.

“O governo do Paraná quer a consolidação de uma ferrovia de passageiros moderna, segura e ágil que vai estimular o desenvolvimento harmônico e integrado das regiões metropolitanas de Londrina e de Maringá”, afirmou a vice-governadora Cida Borghetti (PP), que coordena o projeto do Pé Vermelho. “Não há custos para o Estado do Paraná do nesse momento de elaboração de estudos e projetos iniciais”, destacou o secretário de Planejamento, Silvio Barros, que tem acompanhado de perto o andamento do projeto.

(foto: Jonas de Oliveira)

2 Comentários

  1. Antonio Carlos Responder

    Faço votos que o Trem Pé Vermelho não enverede pelo mesmo caminho tomado pelo Metrô de Curitiba, aquele que nunca saiu do papel, e já se gastaram dezenas de milhões de Reais em estudos e outras besteiras ligadas a ele. E ele continua no papel.

Comente