Uncategorized

Hoje dá para entender porque o PT votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, diz Richa

beto_psdb

O governador Beto Richa disse nesta segunda-feira (23), no evento promovido pelo PSDB-PR no restaurante Madalosso, em Curitiba, que hoje em dia “entende porque o PT votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), uma das grandes conquistas da política brasileira, implementada ainda no governo Fernando Henrique Cardoso”.

“Votaram contra porque não sabem administrar. Foi devido à LRF que eles caíram. Gastaram mais do que arrecadavam e quebraram o Brasil”, disse o governador, muito aplaudido pelas 1500 pessoas que participavam do jantar. Para o governador, o impeachment marca o fim do triste ciclo corrupto-populista do PT. “Hoje não há mais espaço para a demagogia. A população não aceita. Olhem o PT. Promoveram todo tipo de política populista e paternalista e quebraram as finanças do País. No governo deles, tivemos a mistura da incompetência com a corrupção.”

O governador afirmou que o governante, em alguns momentos, precisa saber dizer não. “Foi o que fizemos no Paraná, tomando medidas duras e sofrendo uma oposição maldosa. Mas eu alertava que o Paraná seria o primeiro estado a fazer o ajuste fiscal e o primeiro estado a sair da crise. Hoje, enquanto outros estados não conseguem nem honrar seus compromissos, nós estamos com o pagamento para o funcionalismo em dia, antecipamos reajuste e estávamos investindo em todos os municípios do estado.”

CURITIBA

O governador elogiou também o deputado federal Paulo Martins, que colocou seu nome à disposição do partido como pré-candidato para a prefeitura de Curitiba. “É um deputado dos mais valorosos que mostrou seu valor combatendo o PT em Brasília”, disse o governador, para quem o PSDB tem enorme responsabilidade com os curitibanos. “Até por conta da administração que fizemos, premiada e reconhecida, temos compromisso de apresentar soluções para a cidade”.

A convenção do partido irá decidir qual será o candidato da sigla na disputa pela prefeitura da Capital do Paraná. Além do deputado Paulo Martins, já se apresentaram para disputar a Prefeitura de Curitiba o vereador Professor Galdino, os presidentes Mounir Chaowiche (Sanepar) e Fernando Ghignone (Compagas); o secretário estadual Michele Caputo (Saúde), o chefe da Casa Civil Valdir Rossoni e os deputados Mauro Moraes e Cantora Mara Lima.

(foto: arquivo psdb-pr)

4 Comentários

  1. Provavelmente os auditores do tribunal de contas que recomendaram a reprovação das contas do Alberto, fugiram da escola, e a edição de ajuste no retroativo ao orçamento, foi pequeno lapso. Litle!

  2. Fazendário falido Reply

    AGENTE FAZENDÁRIO ESTADUAL. RESTRUTURAÇÃO DA CARREIRA, JÁ.

  3. Zé Venancio Reply

    Ainda bem que Sua Ex-excelência sabe direitinho como administrar.
    Veja só a gestão econômica “perfgentesÉ que fez e ainda faz, para o desespero de todos nós…
    E de quebra, escolhe sempre gente “ilibada” para estar perto dele!
    Veja o caso do assessor pedófilo e ladrão…
    É agora, o fiel escudeiro Rossoni, tendo que deixar uma pequena fortuna de multa por improbidade administrativa…
    O homem-mamão da SUDE e suas empreiteiras…
    Pedir perdão por não saber quanto tinha em caixa, para gerir o estado…
    Devendo progressões e promoções em atraso a mais de ano a professores e policiais…
    É seu Campana… O ex deputado é realmente a pessoa mais abalizada para falar de gestão pública…

  4. Jorge Tissot Reply

    Paulo Martins, é com certeza o melhor candidato para prefeitura de Curitiba.

Comente