Uncategorized

Dilma é incompetente para governar a nação, diz líder do PSB

PSB - Paulo Foletto ES

O ex-senador Sérgio Machado usou de sua experiência de negociador, no mundo empresarial e no submundo da corrupção, para obter da Procuradoria Geral da República (PGR) o seu acordo de delação premiada. Para valorizar a proposta, com a qual espera obter perdão judicial ou pelo menos uma redução de pena, ele procurou a PGR já de posse das gravações comprometedoras dos seus aliados. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Machado entendeu que entregar aliados como Renan Calheiros, seu padrinho, ou Romero Jucá, era tudo o que a PGR sonhava.

Com gravações tornadas públicas, amigos que ainda restam difundiram a versão de que Sérgio Machado foi pressionado pela PGR a delatar.

Fontes do Ministério Público Federal confirmam que a iniciativa de gravar os aliados foi do ex-senador e ex-presidente da Transpetro.

Com a delação, Sérgio Machado queria blindar o filho Expedido, “Did”, mas acabou por torná-lo alvo. E o filho também fez acordo de delação.

1 Comentário

  1. sergio silvestre Responder

    Verdade,eu acho que foi uma delação sacana né,atingiu até o “SOMBRAS DA NOITE” o Temer,mas que foi sacana foi ,delações tem que ser aquelas que falem só do Lula as tais “SELETIVAS”

Comente