Uncategorized

MST invade prédio e monta barracão no
centro de Curitiba

banda-b

Luiz Henrique de Oliveira e Flávia Barros, Banda B

Membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram o prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) na Rua Doutor Faivre entre a Av. Sete de Setembro e a Av. Visconde de Guarapuava, na região central de Curitiba, na tarde desta quarta-feira (8). Além disso, eles montaram um barracão interditando completamente este trecho da rua. Alguns moradores procuraram a Banda B para relatar que estão impedidos de sair de suas residências e comércios foram fechados. O trânsito está complicado na região.

Uma moradora na região disse que os manifestantes não querem conversa. “Eles nos falaram que vão ficar até sexta-feira neste acampamento. Não tem como sair de carro e isso vai prejudicar diversos comércios da região. Montaram o acampamento super rápido e tomaram conta de lá”, disse.

Diego Moreira, coordenador nacional do movimento, explicou as reivindicações. “Queremos mostrar às autoridades a importância da discussão da reforma agrária. Queremos denunciar o descaso com os pequenos agricultores, que é desassistida pelo Estado, especialmente no governo golpista de Michel Temer”, descreveu à Banda B, sem dar uma data para quando o grupo desmontará o acampamento.

Praticamente todos os comércios, entre a Visconde de Guarapuava e a Av. Sete de Setembro, estão fechados. Gleice Oishi , dona de uma loja automotiva, lamenta que mais uma vez os trabalhadores serão prejudicados. “Para nós é sempre ruim. Só ontem tivemos uma queda de 30% de movimento. Nós temos acesso pela Visconde de Guarapuava e continuamos aberto, mas nossos vizinhos de comércio tiveram que fechar”, criticou.

19 Comentários

  1. o PT FICOU 16 ANOS NO PODER, PORQUE ELES NÃO PEDIRAM TERRA PARA O PT, AGORA FICAM FAZENDO ESSAS LOUCURAS, CADEIA PARTA ELES.

  2. Onde estão as autoridades para deter esses desocupados, baderneiros bandios Chega de aguentar essa turma, a fonte de recursos deles está acabando com a prisão desses petistas que alimentam essa gang. Prisão a todos.

  3. Francisco Carlos Responder

    E a polícia está esperando o que pra desobstruir a rua? Tem que descer o cassetete nesses baderneiros, ou então isto vai virar moda, e a cada esquina eles vão criar uma confusão. Se invadirem o prédio do INCRA, ai é problema deles com o Órgão, mas fechar a rua, impedir a circulação de pessoas que não tem nada com isso, NÃO PODE.

  4. O que a Polícia e o exército precisa fazer é acaba com esta ba-
    derna na base da força. A sociedade brasileira já não aguenta mais
    o MST incentivando ainda pelo PT e causando transtornos para
    os homens de bem. Cadê o Temer que dizia acabar com as verbas
    desta tigrada !?

  5. Onde estão as nossas autoridades, pagas por nós, para manter a ordem na cidade? É um caso explícito de polícia. Logo a “Greice” virá para prestar apoio. Problemas que o PT não resolveu durante 13 anos de desgoverno.

  6. -Mas que lindo, que maravilha..onde está a Tropa de Choque para desmontar toda esta bagunça???
    -Este pessoal do MST querem é confronto e se continuar assim, terão cedo ou tarde!!!
    -Ninguém aguenta mais tanta confusão!!!!

  7. Enquanto não prender o patrão Lula isso vai continuar, o que será a justiça esta esperando ??? Que o povo de bem vá pras ruas ??? É só que falta…

  8. Cadê o Beto Richa?Vai bancar o frouxo agora?Tome atitude de homem rapaz em cima destes vagabundos.

  9. Manda o Choque e os mesmos comandantes que fizeram aquele belo trabalho que acabou com a baderna no Centro Cívico. Se não tomarem providências, daqui a pouco vão armar uma tenda dentro de nossas casas.

  10. Caro FÁBIO, é mais uma ação lamentável dessa população de ignorantes, compostos por bandidos, guerrilheiros, grileiros, desocupados e vadias que ainda acreditam nas propostas que a ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA, inseriu em suas cabeças, de que terra será doada para os “cumpanheros”. Ninguém almoça de graças, e são eles mesmos que irão pagar a maior parte da dívida com desemprego, impostos e prazo mais longo de atendimento. Por outro lado, do Prefeito GUSTAVO não se pode esperar mais nada, pois é um inativo. Agora, o Governador BETO RICHA, é deplorável sua ausência nesse procedimento, ainda não aplicando a legislação e ordenando a retirada dos baderneiros, com o aparato de INsegurança do estado. Até quando BETO, você suportará essa afronta. A sociedade não aceita esse desaforo patrocinado pelo governador. Está cada vez mais difícil avaliar sua eleição para o SENADO. Inoperante. Atenciosamente. .

  11. Mario Lopes Filho Responder

    E a polícia do Beto? Do Fruet? São 13 anos que esta tropa rebolava no colo do PT e agora prejudicam a população…

  12. E o direito de ir e vir dos cidadãos, munícipes, moradores e comerciantes, como fica ? É o “exército do stédile que manda ? Na omissão do Estado a Força Nacional deve intervir.

  13. Achei q já havia ter visto td, isso só acontece aqui no Brasil, isso é um absurdo, como q ainda ninguém tomou providência, vão esperar construir um barracão deste em cada rua de Curitiba? Quando não deveriam deixar erguer nenhuma ripa se quer; Lamentável.

  14. Meu Deus! Será q o juiz Sérgio Moro vai ter q assumir o MST p colocar um basta nestas barbaridades? Não teria outra autoridade, como ELe , disposta a resolver este problema? Puxa vida! Estamos muito mal em relação a ativistas para desmontar falcatruas no Brasil, isto ficou muito tempo e se consolidou . Quem se propor a acabar com as aberrações do MST será o segundo herói p o povo brasileiro,

  15. Professor Bigode Responder

    Acho que todos têm o direito de manifestação desde que não interfira no direito de terceiros. Se eu parar meu carro em fila dupla, serei, com certeza, multado. Pergunto se a Lei Maior de nossa Pátria, a Constituição, permite que uma lei seja aplicada somente em parte da população. A rua é pública e deve ser imediatamente recuperada das mãos de bandidos e anarquistas, pois não produzem e nem pagam os impostos que a população brasileira recolhe ao inoperante Governo Federal.. Lei neles.

Comente