Uncategorized

Em crise, Rio parcela salário de servidores

índice

Este post vai dedicado a todos os que fizeram grande proselitismo contra o ajuste fiscal no Paraná. Se o governo nativo não toma providências para segurar os efeitos do desgoverno do PT, o mesmo que comandou as arruaças locais, incluindo tomada e depredação da Assembleia, estariamos como o Rio de Janeiro. Ora, pois, lá os salários dos servidores e pensionistas serão parcelados. A primeira parcela será na terça (14), décimo dia útil do mês. O restante será pago no final do mês, sem data definida, de acordo com a nota oficial emitida pelo Palácio Guanabara. Apenas os servidores ativos da Secretaria de Educação receberão integralmente na terça. Eles serão pagos com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).Com informações da Folha de S. Paulo.

Pela escala feita pelo governo, os servidores ativos e inativos e pensionistas receberão R$ 1.000 mais 50% da diferença entre o valor líquido do seu vencimento e a parcela de R$ 1.000 no dia. O restante será depositado em data ainda não definida. O governador anunciará o dia do pagamento da parcela final na próxima semana. O governo vai desembolsar na terça R$ 1,1 bilhão (70% da folha, que é de R$ 1,56 bilhão).

O Estado amarga uma grave crise financeira. Na quinta (9), o governador do Rio, Francisco Dornelles (PP), anunciou cortes que fará. Uma das medidas é a suspensão do Renda Melhor, programa de transferência de renda que compensa o Bolsa Família. O Bilhete Único, que subsidia a integração do transporte público, também sofrerá cortes. A economia com medidas é de R$ 1 bilhão a R$ 2 bilhões, insuficiente para cobrir o rombo calculado de R$ 19 bilhões do orçamento.

4 Comentários

  1. Antonio Carlos Responder

    Também em um estado aonde a principal fonte de receitas vinha do fundo do mar só podia dar no que está dando. E aonde foi parar a receita com o turismo? O Rio não deixou de ser a porta de entrada dos turistas estrangeiros, eles é que deixaram de entrar pelo Rio?

  2. falido e ainda mal pago Responder

    Temer, Lula, Dilma, Beto, Rato Jr, Ney, Gleisi, Requião Filho Meu Deus, aonde chegamos! Este País não sairá do buraco em que os próprios eleitores o enfiaram tão cedo. E o buraco é escuro e fedorento.

  3. Enquanto vivemos sòmente das denúncias de roubalheiras e mais
    roubalheiras, os servidores e aposentados ficam sem dinheiro. É
    uma incoerencia tão grande que beira a loucura.

Comente