Uncategorized

Em um mês, governo Temer extinguiu 4 mil cargos em comissão

Lauro Jardim

Em seus primeiros 30 dias, sem alarde, o governo Temer extinguiu 4.307 cargos em comissão, ou seja, aqueles em que se pode nomear funcionários de fora do quadro do serviço público.

Isso significa uma economia anual de R$ 231,9 milhões. Mais: 10.562 cargos que até então eram também para serem preenchidos por indicação de políticos, agora só podem ser exercidos por servidores concursados.

4 Comentários

  1. Antonio Carlos Responder

    Só isto, e os outros milhares de Cargos Comissionados vão ser extintos quando mesmo?

  2. Doutor Prolegômeno Responder

    É muito pouco. Além dos cargos em comissão, deviam ser extintos outros milhares de cargos públicos, inclusive de concursados. O serviço público no Brasil é inchado, ineficiente e dispendioso. O Estado tem uma estrutura colossal e inútil. A estabilidade é abrigo para a incompetência e o desperdício. Estas garantias dos servidores públicos são um obstáculo à reestruturação do Estado paquidérmico. O povo paga a conta de funcionalismo gigantesco que se aposenta com vencimentos integrais, com pouquíssimo tempo de serviço. Tem que botar na rua.

  3. Caro FÁBIO, esse número é INSIGNIFICANTE para a necessidade da sociedade brasileira. Esse número de demissões deve ser mensal pelos próximos 06 meses. Por outro lado os cargos desocupados devem ser extintos e não serem preenchidos novamente com novos contratados. E não devem ser criados novos cargos. Atenciosamente. . .

  4. O PT institucionalizou os “penduricalhos” políticos pra valer. Deixa-
    ram as portas abertas para serem preenchidos por gentes do mal
    e continuaram sugando o nosso dinheiro. Ainda é muito pouco para
    atingir a meta, porem é um bom começo.

Comente