Uncategorized

Mulher é presa ao tentar sacar R$ 10 mil com documentos falsos
em Curitiba

mulher-1-275x270

Uma mulher de 34 anos – suspeita de integrar uma quadrilha de estelionatários – foi presa em flagrante por policiais civis da Delegacia de Estelionato (DE) de Curitiba, no momento em que tentava sacar o valor de R$ 10 mil com a posse de documentos falsos. A prisão de Angela Andréia Crisostomos aconteceu na tarde da última quarta-feira (29), dentro de uma agência bancária, situada na Região Central da capital.

A suspeita foi presa depois que a Polícia Civil foi notificada pelos funcionários do banco de que uma mulher em atitude suspeita estaria tentando sacar um valor em dinheiro do local e que ela teria se recusado a fazer a identificação biométrica para realização do procedimento.

“Após a delegacia ser informada, uma equipe de policial foi encaminhada até o local para verificar a ocorrência e realizou o flagrante”, relata o delegado-titular da DE, Wallace de Oliveira Brito. Durante a abordagem, os policiais localizaram quatro Carteiras Nacional de Habilitação (CNH) falsas em nome de terceiros.

“Todos os documentos tinham a foto da suspeita com o nome de outras pessoas que possuem contas no banco, inclusive, a maioria dessas pessoas que estavam sendo lesadas, são funcionários públicos do Ministério do Planejamento”, explica Brito.

Investigações apuraram que a suspeita é natural da cidade de Santo André, de São Paulo e que estaria hospedada em um hotel no Centro de Curitiba junto com mais sete pessoas – três mulheres e quatro homens – também integrantes do bando.

Segundo o delegado, os suspeitos ficariam hospedados no hotel até sexta-feira (1º). “Descobrimos que um dos envolvidos já haviam se hospedado semanas antes no mesmo hotel com outras pessoas e que nesta semana ao perceberem a presença da polícia, todos fugiram”, informou.

Ainda de acordo com o Brito, todas essas pessoas são integrantes de uma quadrilha de São Paulo, que possivelmente vem agindo em Curitiba. “Esse bando é especializado em diversos crimes envolvendo documentos fraudulentos, falsidade ideológica e estelionato”.

As investigações seguem para a identificação e prisão dos demais envolvidos. Angela responderá pelos crime de estelionato, falsidade ideológica, associação criminosa e uso de documento falso. Ela permanece detida à disposição da Justiça.

Comente