Uncategorized

Agricultura e o Paraná sabem como enfrentar a crise, diz Beto Richa

beto-maggi

O governador Beto Richa destacou nesta sexta-feira, 8, a potência e os avanços da agropecuária do Paraná e lembrou que, no Brasil, o setor tem, historicamente, salvado a balança comercial. “Em especial neste ano de recessão econômica sem precedentes, a agricultura, mais uma vez, está presente para amenizar os efeitos da crise no País e também em nosso Estado, que é um forte produtor agrícola”, disse Richa ao ministro Blairo Maggi (Agricultura) durante encontro da Ocepar.

A importância estratégica do setor também foi enfatizada pelo ministro Blairo Maggi. “A saída para tirar o país da crise econômica é a agricultura e a pecuária. O setor industrial levará mais tempo para se recuperar deste cenário de recessão, por isso é nossa responsabilidade tornar o setor agrícola mais competitivo, para que o Brasil entre nos trilhos novamente”, disse Maggi.

No Paraná, o setor conta com o apoio do Governo do Estado, afirmou Richa. “Em especial as cooperativas, que são responsáveis por parte significativa da nossa produção”, afirmou ele. O BRDE bateu recorde de financiamento para as cooperativas agropecuárias nos últimos cinco anos no Paraná. Foram contratados R$ 2,46 bilhões entre 2011 e 2015. Neste ano, só para os produtores rurais foram liberados mais R$ 270,5 milhões.

“Nosso apoio é total ao agronegócio, o que não podia ser diferente, já que milhões de empregos são gerados na cadeia do agronegócio e da agroindústria do Estado”, explicou Richa. “Todas as cooperativas do Paraná receberam estímulos do nosso governo, seja pelo BRDE seja pelo programa de incentivo fiscal Paraná Competitivo, para ampliar estrutura e produção”.

(foto: Orlando Kissner/ANPr)

3 Comentários

  1. Richa? Vencendo a crise???????

    ELE É A CRISE!!!!!!

    É piada, não é?

    KKKKKKKKKKKKKK!!!!!

  2. Miguel Jorge Rosa Neto Responder

    Ao Exmo. Governador Carlos Alberto Richa.
    Ah, Governador Beto Richa.
    Que tristeza ver que o meu voto foi jogado fora.
    Um Homem, com H maiúsculo, preza muito pela sua palavra, pelos seus compromissos assumidos, pela sua lisura e pela sua respeitabilidade.
    Como seu pai, do qual eu divergia politica e ideologicamente, mas que respeitava como homem público e como gestor.
    O Senhor se elegeu com folga, mediante promessas e posturas, as quais logo depois das eleições foram apagadas, rasgadas. Enfrentou um movimento promovido pela APP Sindicato, a qual eu repudio, e para colocar fim a esse movimento assumiu compromissos que agora, quase na hora de cumprir, rasga novamente.
    Isso é uma posição de um político formado nas bases brasileiras, o que por si só já comprova a sua fragilidade.
    Não é a posição de um homem, de um cidadão digno, de um estadista.
    Todos sabemos que o Senhor não tem maquininhas de fazer dinheiro, mas saiba que nós também não as temos.
    Quando o Senhor, do alto da sua credibilidade de Governador do Estado, se comprometeu a dar reajustes e zerar as perdas dos servidores até janeiro de 2017, voltando a data base em maio do mesmo ano, todos os servidores acreditaram, e muitos assumiram compromissos contando com isso, com sua palavra.
    E agora, às vésperas, vem o Senhor e desmente tudo isso? Vai revogar a Lei, colocando no abismo das dívidas milhares de servidores?
    Perdoe-me, Governador, mas isso é coisa de moleque, e não de gestor público.
    Induzido está por um forasteiro monetarista e tributarista, que não tem qualquer comprometimento com a nossa sociedade, mas que fala e escreve o que o Senhor gosta de escutar e de ler.
    Dinheiro, dinheiro, dinheiro.
    Que pena, Governador, vê-lo completamente perdido, suportado por uma maioria fisiológica na ALEP que, capitaneada pelo Líder Romanelli, tão fiel aos seus preceitos que já rezou a Deus e ao diabo ao mesmo tempo.
    O Senhor conseguiu me fazer arrepender do voto dado em 2014, desejando que o tempo voltasse para, no mínimo, votar nulo.
    Tenho certeza de que o Senhor não vai perder o sono pelas suas “maldades”, tampouco por estas palavras que nem lerá, pois não lhe interessa; afinal, para políticos perder o sono hoje em dia é somente através da Lava Jato ou do Juiz Sergio Moro.
    Espero sinceramente que faça bom proveito dos recursos que deixará de repassar aos servidores, tapando quiça buracos deixados pelo enxame de comissionados, e que o Super Secretário da Fazenda, do alto dos seus mais de 100.000,00 mensais de remuneração mensal, siga contente e faceiro inviabilizando financeiramente milhares de famílias enquanto ele se locupleta.
    Triste ver que o filho nada herdou de valores e de seriedade do pai.

  3. O Governador Beto Richa, sabe que em tempos de crise, pela qual passa o País, o setor agropecuário é o que traz retorno mais rápido para a economia, e mantém os postos de trabalho,por isso disponibiliza investimentos no segmento, através das cooperativas, e da liberação de empréstimos subsidiados aos agricultores, tanto para o custeio das lavouras, como para investimentos em equipamentos agrícolas.Sempre contando com o apoio, e a supervisão do Sec. Chefe da C. Civil Valdir Rossoni, nas demandas importantes da administração do Estado.

Comente