Uncategorized

Ex-presidente do BNDES pedia doação ao PT, diz empreiteiro

luciano-coutinho

O empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC, afirmou aos procuradores da Operação Lava Jato que o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho pediu a ele que procurasse o então tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff à reeleição, Edinho Silva, para fazer doações. As informações são da Folha de S. Paulo.

Pessoa fez as afirmações em uma complementação de sua delação premiada.

Segundo o depoimento de Pessoa, feito no mês passado, a conversa aconteceu em 2014, quando Coutinho ainda era presidente do BNDES. Ele foi o presidente mais duradouro da entidade, permanecendo no cargo de maio de 2007 a maio de 2016.

O empresário relatou aos investigadores que teve uma reunião com Coutinho e outros executivos da UTC na sede do BNDES em São Paulo para tratar do projeto do aeroporto de Viracopos, na região de Campinas (SP). A UTC integra o grupo que controla o empreendimento e que contou com um empréstimo do banco estatal de R$ 1,5 bilhão aprovado em dezembro de 2013.

Ao final da reunião, segundo o depoimento de Pessoa, o então presidente do BNDES pediu para que os executivos que estavam no local saíssem da sala e que permanecesse apenas os sócios da UTC.

A sós com o grupo, Coutinho teria dito, segundo o delator, que a partir daquele momento deveriam procurar Edinho para tratar de doações para a campanha da presidente Dilma de 2014.

Edinho, que após a reeleição de Dilma se tornou ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, atuou como tesoureiro da campanha de reeleição.

COMPROMISSO

Para os investigadores, o depoimento do dono da UTC pode ser um indício de que Coutinho obtinha o compromisso de doações eleitorais entre empresários que tinham financiamentos junto ao BNDES.

Participantes do comitê da campanha de Dilma relataram à Folha que Coutinho tinha a função, juntamente com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, de apresentar Edinho aos empresários, já que quem transitava entre eles era o ex-tesoureiro da sigla João Vaccari Neto.

Segundo a Folha publicou em maio, Marcelo Odebrecht relatou, ao negociar sua delação, que Coutinho e Mantega cobravam de empresários financiados pelo BNDES doações para Dilma em 2014.

Nesta segunda (25), o ex-diretor da Andrade Gutierrez Flávio Machado reafirmou que foi instado a doar ao PT após a empresa ser beneficiada por empréstimo do BNDES.

(foto: sérgio lima/folhapress)

2 Comentários

  1. “Meu DEUS… Onde vamos parar? Onde mexer, se olhar parece falcatrua. Isso não tem! É um poço sem fundo. Eleição virou sinônimo de FALCATRUA. CAIXA 2. ROUBO. DESVIO DE RECURSOS PÚBLICOS. Estão todos na lama. O sistema representativo no Brasil está falido. ou melhor nunca existiu sistema que efetivamente representasse os interesses do povo. Nunca. Ingenuidade achar que eles entram lá para nos defender. A estrutura de poder no Brasil é draconiana, injusta, e imoral. Precisamos URGENTE de uma reforma que diminua RADICALMENTE o número de parlamentares em todos os níveis. São muito caros e não dão retorno nenhum. Qual a vantagem que a população tem com isso? Nenhuma! Só beneficia eles. Carros luxuosos. Instalações caras. Telefone. Internet. Luz. Água. Cafezinho. Motorista. Auxílio moradia. Verba de representação. Cargos comissionados caríssimos. É um poço sem fundo. E se não bastasse, ainda temos que lidar com a corrupção perpetrada por eles mesmos. Temos os políticos mais caros do planeta. Acorda Brasil…” – Profº Celso Bonfim

Comente