Uncategorized

Em 19 anos, linha inter-hospitais tem apenas um ônibus

Ônibus interhospitais. Curitiba, 13/08/2015 -  Foto: Luiz Costa/SMCS

Mesmo criada há 19 anos, a linha inter-hospitais circula entre as principais unidades de saúde de Curitiba com apenas um ônibus. Os usuários reclamam ainda das dificuldades em conseguir o cartão de acesso ao transporte na Urbs.

Mesmo com todas essas dificuldade, a linha liga os principais hospitais e laboratórios clínicos de Curitiba e atende cerca de mil pessoas por dia, facilitando o acesso aos estabelecimentos de saúde mais procurados pelos moradores de Curitiba. É uma linha circular, que roda num raio de cinco quilômetros na área central e conta com ônibus especiais com elevador de acesso e adaptados para pessoas com deficiências. Diariamente, são 700 quilômetros em 36 viagens.

“Infelizmente hoje a linha não atende pessoas que não residem em Curitiba, e que apresentam carência financeira, devido acesso ao seu uso ser somente com cartão transporte. A linha deixou a desejar quando passou a operar com o uso do cartão transporte. Hoje, diminuiu até ao número de ônibus”, disse a usuária Ayrma Klein Lopes.

O ponto de partida é a Estação Rodoferroviária porque atende também as pessoas que chegam de outras cidades para receber tratamento de saúde em Curitiba. Os ônibus têm ponto na Unimed Alto da XV, Clínica de Fraturas/Hospital do Coração, Hospital Oswaldo Cruz, Hospital Cajuru, Hospital das Nações, Hospital de Clínicas, Unidade de Saúde Mãe Curitibana, Hospital Evangélico, Hospital Militar, Hospital Nossa Senhora das Graças, Hospital Pequeno Príncipe e Laboratório Frischmann-Aisengart. Os ônibus ainda passam perto de vários outros estabelecimentos da área de saúde.

Não se sabe porque, recentemente a prefeitura de Curitiba alterou a cor dos ônibus Inter Hospitais. A mudança sem justificativa, já que o visual do ônibus já era velho conhecido dos usuários, tem causado uma certa dificuldade aos que já estavam acostumados a utilizar o transporte. “É um absurdo esta atual gestão da prefeitura, parece que estão querendo acabar com tudo o que foi bom para os curitibanos”, disse Zico Candeal.

(Foto: Luiz Costa/SMCS)

2 Comentários

  1. Nestas horas que verificamos quanto os governantes não dão a
    mínima bola para os deficientes e doentes. Falar bonito no palanque
    é realmente para os políticos bom de bola e depois de eleitos o
    povão ruim da cabeça não cobram nada porque mal sabem em
    quem votaram. Este mal se chama insanidade eleitoral.

  2. Esse ano tem eleição para para Prefeito e Vereadores, espero que a população não esqueça desses pequenos detalhes e investigue a vida de cada um que pretende voltar, pq esse atual prefeito foi uma vergonha para a Cidade.

Comente