Uncategorized

Nova regra ajuda 6 mil ‘fichas-sujas’

Valdecir-Pascoal

Após perder poder para rejeitar contas e tornar prefeitos inelegíveis, os integrantes dos tribunais de contas alertaram ontem que seis mil prefeitos e ex-prefeitos “fichas-sujas” podem ser beneficiados. O STF decidiu que, a partir de agora, os vereadores vão ter a palavra final sobre a aprovação ou não das contas dos prefeitos. “84% das impugnações de gestores decorreram dessa nossa função de julgar contas, e agora isso vai ser esvaziado”, afirmou o presidente da Atricon (Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil), Valdecir Pascoal. As informações são de Marcelo Freitas no Metro/Curitiba.

A categoria admite trabalhar para convencer a Corte a mudar de entendimento ou o Congresso a aprovar uma emenda à Constituição revertendo a decisão. A decisão do STF foi tomada ao ser identificada uma brecha na Lei da Ficha Limpa sobre a competência do julgamento de contas.

Um dia após afirmar que a lei “parece ter sido feita por bêbados”, o presidente do TSE, Gilmar Mendes, manteve as críticas. “Bancou-se um pouco de Deus nesse tipo de matéria. E é preciso um pouco respeitar a inteligência alheia, é preciso que a própria legislação não aproveite momentos emocionais para trazer coisas absolutamente irracionais”, afirmou.

“Acho a lei boa. Há uma legítima demanda da sociedade por decência política”, divergiu o ministro Roberto Barroso. Um dos autores da lei, o juiz Marlon Reis, do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, rebateu Mendes. “A lei foi engendrada por dezenas de organizações nacionais, merecedoras do maior respeito. Tem apoio unânime da sociedade brasileira”, disse.

(foto: divulgação)

Comente