Uncategorized

Governo corta 474 cargos em comissão nas universidades estaduais

unnamed

A Assembleia Legislativa aprovou nesta segunda-feira (12), em primeira discussão, projeto de lei do Governo do Estado propondo o corte imediato de 474 cargos em comissão e funções gratificadas das universidades estaduais. Além disso, outros 718 cargos deverão ser extintos até o final de 2017.

Por lei, as Instituições Estaduais de Ensino Superior poderiam utilizar 2.098 cargos em comissão. O quadro atual, contudo, aponta que existem 3.290 funções comissionadas nas sete universidades estaduais. Com a aprovação da legislação, deixarão de existir 1.192 cargos até o final do próximo ano.

Responsável pela negociação com reitores das universidades estaduais para a extinção dos cargos em comissão, o chefe da Casa Civil Valdir Rossoni destaca que a determinação do governador Beto Richa é continuar reduzindo as despesas do Estado. “O ajuste das contas é um processo permanente”, explicou.

Rossoni destaca que manter os cargos resultaria em aumento de despesa com pessoal, com impacto sobre as finanças do Estado. “Temos uma situação melhor que os demais estados, e vamos manter esta condição para dar tranquilidade aos servidores e fornecedores do Estado”, disse.

7 Comentários

  1. E os´pau mandados de políticos, que estão em todas as áreas e principalmente na Casa Civil e Detran. Iap, quando vão tomar um pé na bunda.

  2. O que será que eles faziam lá? Nada? Se faziam alguma coisa, quem irá substituí-los?

  3. EDILSON HUGO RANCIARO Responder

    Com a propalada liberdade administrativa, as Universidades esbanjaram criatividade, criando cursos e cargos sem autorização legal. Sua estrutura organizacional é típica da acomodação de cargos, além de exageradas. Os professores com mestrado e doutorado, ocupam cargos administrativos de assessores, chefes e diretores, em detrimento de seu Concurso. Sua carga horária em sala é de 8hs/aula semanais (Doutores) e 12 a 16hs/semanais (Mestres). Além de pesquisas em que 90% não são voltadas à comunidade ou empresas ou para a melhoria da Administração Pública, bem como virou um espaço para acomodar, parentes e amigos.

    Prof. aposentado Mestre.

  4. E o bando de comissionados, que estão dentro do Palácio Iguaçu, e que vivem viajando por aí e não fazem nada, vão continuar?

  5. Mas porquê o Betinho Banana demorou tantos anos assim para tomar tal medida? Ganhou alguma coisa com isto? E o que o Estado ganhou? Só torrou a nossa grana pagando gente para nada fazer. E porque não extinguir já os já anunciados cortes para até o fim de 2017? Que tipo de estabilidade esta gente goza?

  6. Os comissionados tem um salário muito alto, vamos dar um basta nisso. Tem um caso que conheço muito bem: ao entrar no governo ganhava R$ l.400,oo, hoje
    ganha R$ 12.800,00 ,chega…

  7. Caro FÁBIO, a intenção do Secretário ROSSONI é oportuna, contudo ele está cortando o excedente, que já estava em situação irregular. Cortar cargos em comissão é cortar pela metade o número de comissionados 2098. Por oportuno é conveniente refazer a situação dos professores mestrados e doutorados que nos últimos anos de carreira decidem fazer curso um nível acima para obter nível mais elevado de aposentadoria. Para esses professores, devem ficar mais tempo em serviço para dar retorno aos recursos aplicados nesse mestre, ficando obrigados a complementar sua situação até os 65 anos de idade. A nação está pagando caro pela incompetência dos gestores da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA PETISTA,e os professores devem contribuir com a sua parcela. A população de 14,0 MM de desempregados é muito elevado para a sociedade brasileira. Atenciosamente.

Comente