Uncategorized

Há mais que vereadores presos no imbróglio de Foz do Iguaçu

A Polícia Federal investiga um esquema voltado para a prática de irregularidades perante a Administração Pública do Município de Foz do Iguaçu e na Câmara Municipal, “mediante desvio de recursos públicos, com a finalidade de obtenção de vantagens indevidas.” Além da prisão de 12 vereadores, a Polícia faz incursões em Curitiba, Cascavel, Maringá, Pato Branco, Recife e Brasília. E há possibilidade de prisão de gente graúda em todas essas cidades que estão em cargos mais importantes que os dos vereadores.

Julia Affonso e Fausto Macedo no Estadão

A Polícia Federal, em ação com o Ministério Público Federal, deflagrou nesta quinta-feira, 15, a Operação Nipoti, 5ª fase da Pecúlio. A Federal investiga um esquema voltado para a prática de irregularidades perante a Administração Pública do Município de Foz do Iguaçu e na Câmara Municipal, mediante desvio de recursos públicos, com a finalidade de obtenção de vantagens indevidas. Doze vereadores foram presos.

Segundo nota da PF, cerca de 150 policiais federais estão cumprindo 78 mandados judiciais, sendo 20 de prisão preventiva, 8 de prisão temporária, 11 de condução coercitiva e 39 de busca e apreensão em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao grupo criminoso, nas cidades de Foz do Iguaçu, Curitiba, Cascavel, Maringá, Pato Branco, Recife e Brasília.

Perícia da PF apontou que em algumas obras de pavimentação em Foz foram constatados prejuízos consumados na ordem de aproximadamente R$ 4,5 milhões, ainda sem levar em consideração o prejuízo potencial em razão da péssima qualidade das obras, o que reduzirá consideravelmente o tempo de vida útil destas.

As ordens judiciais foram expedidas pela 3ª Vara da Justiça Federal de Foz do Iguaçu/PR fundamentadas em diversos indícios e colaborações premiadas obtidos ao longo das investigações e fases da Operação Pecúlio, em trabalho conjunto da Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Nipoti, plural de nipote, é um substantivo comum de dois gêneros da língua italiana, que significa sobrinhos ou netos. O nepotismo tem origem na palavra nepos, nepote, do latim, que se prende à idéia de descendência, parentesco, assumindo o sentido de favoritismo para com parentes.

1 Comentário

  1. CLOVIS PENA - E os nomes ? Responder

    Fábio !

    Tem informações dos autores ou “suspeitos” em Foz ?

    Um magistrado de renome já disse que em casos de corrupção, o segredo de justiça não pode ser aplicado. É inconstitucional.

    Passou da conta. Réus comandando a população ! Vergonha !
    Vamos limpar a nossa Foz !

Comente