Uncategorized

Geddel usou cargo para interesse pessoal, conclui Comissão de Ética

geddel

A comissão de ética da Presidência da República concluiu que Geddel Vieira Lima utilizou o cargo de ministro da Secretaria de Governo para promover interesses pessoais, violando o código da administração pública.

Em reunião nesta quinta-feira (15), os integrantes do órgão federal aprovaram por unanimidade a posição do relator Marcelo Figueiredo de que houve conflito de interesse na postura do ex-ministro, contra o qual foi imposta a sanção de censura ética. As informações são da Folha de S. Paulo.

A pena é uma repreensão pública pela conduta de uma autoridade, uma espécie de mancha no currículo, mas que não o impede de exercer novos cargos públicos.

O peemedebista deixou o governo federal no mês passado após ser acusado pelo também ex-ministro Marcelo Calero, da Cultura, de ter atuado na máquina pública para viabilizar um empreendimento imobiliário na Bahia onde ele adquiriu um apartamento.

“Nós verificamos que o ex-ministro não se pautou pelos padrões éticos ao defender e gerir interesses privados em confronto com o interesse público”, disse o presidente da comissão de ética, Mauro Menezes.

Segundo ele, o peemedebista também cometeu irregularidade ao não ter informado à comissão de ética que havia adquirido uma promessa de compra e venda do imóvel.

“As autoridades que estão sob jurisdição da comissão de ética devem informar anualmente a evolução patrimonial e não houve a comunicação desse compromisso de compra e venda”, disse.

O presidente do colegiado federal informou ainda que a decisão foi remetida ao Ministério Público Federal, uma vez que há indícios de que o peemedebista cometeu irregularidades que podem ser analisadas nas esferas administrativa e penal.

Comente