Uncategorized

A corrupção nossa de cada dia

unnamed55
A descoberta de enormes esquemas de corrupção no governo federal causou consternação na população brasileira. Embora os escândalos nos abalem, seguimos desejando que a consolidação das instituições, a ampliação da transparência na administração pública e a mobilização da sociedade civil nos proporcionem um futuro mais digno. No entanto, a integridade só é obtida à medida que todos nós cidadãos optemos por agir com probidade. As informações são de
Claudio Sales e Richard Hochstetler, O Globo

Longe dos holofotes de Brasília, verifica-se que os mesmos princípios éticos são violados diariamente por milhões de cidadãos comuns, e talvez o exemplo mais contundente seja o de furto e fraude de energia elétrica.

Quando um consumidor de energia opta por fazer um “gato” (uma ligação clandestina à rede elétrica) ou adulterar o medidor de energia, ele emprega o mesmo raciocínio do político corrupto: “Vou levar vantagem e os demais nem vão perceber”.

Engana-se quem pensa que essas pequenas contravenções atingem apenas a concessionária de energia. A principal vítima desses crimes são os consumidores honestos, que precisam arcar com tarifa mais alta para cobrir parcialmente o rombo deixado pelos contraventores.

Esses delitos não são insignificantes. Em primeiro lugar, trata-se de crimes, cuja penalidade prevista no Código Penal é multa e cadeia. Em segundo lugar, seus impactos são os furtos e fraudes de energia elétrica no Brasil, que somaram mais de R$ 8 bilhões em 2015.

Esses crimes são uns dos mais maléficos, pois a vítima não é um ou outro cidadão. A vítima é a coisa pública (res publica), ou seja, todos nós somos vítimas.

Os furtos e fraudes de energia, assim como a corrupção, prejudicam a prestação dos serviços públicos, comprometendo a sua eficiência, o que onera ainda mais os cidadãos. A prática beneficia os “espertos” à custa dos honestos.

Para reverter esse quadro é preciso uma mudança profunda na nossa forma de pensar e agir: mudar nosso comportamento, mas também a nossa atitude perante as ações dos outros. Precisamos desde já abandonar a complacência que hoje predomina. Precisamos confrontar e denunciar aqueles que insistem em transgredir a lei.

Além disso, nossos tribunais precisam fazer cumprir o que está na Lei. O caminho para sanar as injustiças sociais de nosso país não envolve o abrandamento da aplicação das leis sobre os mais fracos, mas, sim, a aplicação da lei de forma uniforme sobre todos os cidadãos, sejam ricos, sejam pobres.

Este problema é especialmente acentuado no Rio de Janeiro: embora o consumo de energia do estado seja da ordem de 15% do consumo nacional, a sua participação nos furtos de energia supera 25%.

A integridade requer — como já diz a palavra — a transformação do todo. Que tal incluirmos na nossa lista de resoluções para o Ano Novo um compromisso de fazer o que está ao nosso alcance para tornar este país um pouco mais honesto, denunciando sem hesitações ligações clandestinas de eletricidade?

4 Comentários

  1. Imagens como esta das “gambiarras” que tomam conta do Brasil
    não existem nem na China. Os brasileiros do bem continuam pagan-
    do pelos bandidos que nos roubam, a exemplo do Lula e companhia,
    porem no dia a dia uma boa parcela da população convive com o
    oportunismo de sempre levar vantagem. O velho ditado de que se
    eles roubam porque eu não; que dizem por aí como uma máxima
    parece uma piada…

  2. Isaias Andrade Responder

    Realmente, diariamente vimos carros estacionados nas vagas de idoso e de cadeirantes sem a devida permissão e um adesivo colado no para brisa dizendo ” Lava Jato – eu apoio”. E não são fuscas e variants antigas, são sempre carrões modernos e caros.

  3. -E não é somente no roubo de energia elétrica, mas também, no roubo de sinal para a TV à cabo(o famoso gatonet) e internet. Também não podemos esquecer as ligações clandestinas de água potável…e outros exemplos….os vendedores ambulantes que prejudicam o comércio legal onerado com diversos e altos impostos!!!
    -Por isso que sempre bato na mesma tecla: o Brasil não está falido apenas economicamente, mas também moralmente. A moral, a ética, a responsabilidade e a retidão de caráter saíram de cena….tudo é permitido no País da anarquia, da corrupção e da impunidade…

  4. Existem coisas contra as quais jamais vamos conseguir lutar, de cara já saímos derrotados. Pois então vejamos, esta velha e conhecida “estória dos gatos”, só a empresa de energia elétrica é que não vê. Outra talvez até mais dramática ainda, a ligação clandestina de esgoto, esta sim é de matar, não de rir mas de doenças mesmo, e também a empresa de saneamento não faz nada. Algumas coisas em Pindorama deveriam começar a serem tratadas como elas são, ou estão, se legalizam as gambiarras, as ligações clandestinas de esgoto, aí fica todo mundo dentro da lei e ninguém mais será considerado corrupto ou muito esperto. Ou tomamos jeito e fazemos a coisa certa, ou tudo mundo leva vantagem, não é mesmo Gerson?

Comente