Uncategorized

Fruet deixa hospitais na pindaíba

unnamed
Fernando Tupan

A saúde em Curitiba poderá enfrentar problemas já em janeiro, caso o prefeito Gustavo Fruet (PDT) tenha utilizado os R$ 47 milhões que deveriam ser repassados aos hospitais. As perspectivas são ruins, avaliou um representante de uma casa mantenedora. O Hospital Pequeno Príncipe tem três ações em andamento contra a prefeitura e deixou de receber R$ 10 milhões. Teve que buscar empréstimos bancários para saldar dívidas deixadas pela falta do repasse e deve enfrentar dificuldade para fechar a folha.

Outros hospitais como o de Trabalhador, Erasto Gaetner, o Evangélico, Santa Casa e o Cajuru também enfrentam o mesmo problema. O Evangélico pagaria a folha de novembro e é o que está em pior situação, com dívidas de aproximadamente R$ 200 milhões e clamou a algumas empresas fornecedoras, o perdão de dívidas.

A mantenedora do Cajuru e da Santa Casa avisou que não vai mais aportar valores. O Erasto está sem pagar os fornecedores e pode ficar sem medicamentos para os pacientes.

O novo secretário de Saúde, João Carlos Baracho, deve assumir na segunda-feira, 2, com as contas zeradas. Os hospitais estão tentando bloqueio judicial neste momento, mas parece que o recurso evaporou. Esse é um dos motivos do recesso, acreditam as instituições hospitalares. Boa sorte para a população que precisa do SUS.

(foto:arquivo/google)

5 Comentários

  1. O pior Prefeito de Curitiba, não disse para que veio, mas nos sabemos o que fez, a pior administração para Curitiba, esperamos que nunca mais volte, já vai tarde querido.

  2. Se foi mal gestor, merece cadeia!!!!! Chega de impunidade nessa república de bananas

  3. Deixou os hospitais na UTI… Não muito diferente de muitos políticos que fizeram miséria com o dinheiro público ou no minimo uma má gestão, incompetência total…

Comente