Uncategorized

Proposta pode fechar baladas às 2h da manhã

A Avenida Vicente Machado, a Alameda Carlos de Carvalho e a Praça da Espanha serão os primeiros locais de Curitiba a receber o programa Balada Protegida. O prefeito Rafael Greca determinou que sejam feitos estudos para uma parceria entre a Prefeitura e a Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel) para implantar a Balada Protegida nestes locais, que têm grande movimento de pessoas à noite. As informações são do Bem Paraná.

Nesta quarta-feira (18) Greca se reuniu com donos de bares, restaurantes, lanchonetes e casas noturnas que funcionam na Vicente Machado. Os comerciantes apresentaram ao prefeito o projeto Nós Somos Legais, da Abrasel, que reúne estabelecimentos regularizados de Curitiba.

“Não sou contra a vida noturna, eu gosto. Mas temos que fiscalizar para evitar que aconteçam tragédias como a da boate Kiss”, disse Rafael Greca, sobre o incêndio que matou 242 pessoas na casa noturna de Santa Maria (RS), em 2013.

O prefeito ouviu dos empresários sugestões para melhorar as Ações de Fiscalização Integrada (Aifus). Neste ano já foram feitas duas Aifus, com o fechamento de oito estabelecimentos por problemas com alvará de funcionamento.

“Não queremos atrapalhar o comércio, mas a cidade não pode ser uma anarquia. Precisamos de organização”, disse o prefeito.

Ideias

Na reunião foram discutidas algumas ideias para serem implantadas na Balada Protegida, como horário de fechamentos dos bares, que passariam a funcionar até às 2 horas.

Outra ideia a ser estudada é a colocação de mais banheiros públicos na região, para acabar com casos de pessoas urinarem na rua. “A cidade tem que ser limpa”, afirmou o prefeito. O nível de decibéis também será fiscalizado e serão aplicadas multas em caso de infração.

Ambulantes

A principal reclamação dos proprietários de bares é sobre o “terceiro turno” da Vicente Machado. Na hora em que os estabelecimentos fecham os ambulantes continuam vendendo bebidas, alimentos e produtos ilícitos, como drogas. Isso acaba gerando tumultos e muitas pessoas continuam na rua por mais tempo, mesmo com os bares fechados.

Uma das ideias é que a Guarda Municipal fique mais presente na região, com rondas e uma viatura nas proximidades dos bares. Para acabar com a informalidade, a ideia é convidar os ambulantes que vendem alimentos e bebidas de forma clandestina para que procurem a Prefeitura e se regularizem. Da forma como atuam não pagam impostos e não há nenhuma segurança sobre a procedência dos produtos que vendem.

A presidente da Abrasel, Jilcy Rink, afirmou que a reunião foi positiva. “Nossas expectativas foram atendidas, eu já conheço a maneira do Rafael Greca de administrar. Saberia que entraríamos em um acordo e que os nossos interesses são comuns”, afirmou Jilcy. “Também queremos uma cidade melhor, mais limpa, organizada e com mais turistas, todos saem ganhando. A balada Protegida também é do nosso interesse”, definiu.

Também participaram da reunião os secretários de Defesa Social e Trânsito, Algacir Mikalovski, e de Urbanismo e Assuntos Metropolitanos, Marcelo Ferraz Cesar, e a procuradora Geral do Município, Vanessa Volpi Bellegard Palacios.

4 Comentários

  1. Beleza Greca mas porquê gastar dinheiro com banheiros públicos nas ruas? Os donos das baladas é que forneçam aos seus clientes mais esta amenidade.

  2. O certo é acabar com essa folia que só serve para gerar confusão e alimentar o tráfico de entorpecentes!

  3. Bom programa, mas só no centro?
    Gostaria de ver essas visitas nos bairros, tipo Barreirinha, Cachoeira, Umbará; Vilas Trindades, Vila Pinto Parolin, Cajuri e outras similares

  4. ENQUANTO ISTO NA REGIÃO CENTRAL,MUITO ABANDONO NA SEGURANÇA DOS CIDADÃOS E ARROMBAMENTOS NAS LOJAS DE COMERCIANTES DA RUA XV DE NOVEMBRO NAS NOITES CURITIBANAS. ATRAVESSAR UMA PRAÇA ENTÃO, SÓ TENDO MUITA FÉ PARA NÃO SER ROUBADO,TÁ NA HORA DE COLOCAR GUARDAS NAS PRAÇAS SR PREFEITO !!!

Comente