Uncategorized

Filho de cogitado para STF é engenheiro da Odebrecht

Radar On-Line, VEJA

Cogitado para a vaga de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal, o jurista Luís Felipe Salomão pode ter o nome rejeitado por causa do filho. Engenheiro naval com o mesmo nome do pai, ele trabalha na Odebrecht.

Salomão deixou, inclusive, de atuar num processo envolvendo a empreiteira e o grupo Gradin, em 2013. Na época, declarou-se impedido para participar do julgamento.

Atualização: o filho de Luís Felipe Salomão tem 26 anos e trabalha na ICN, empresa em que a Odebrecht tem participação acionária. Salomão já julgou diversos casos da Odebrecht em que não houve suspeição. Na situação mencionada, preferiu se abster porque o filho havia sido aprovado naquela semana em um concurso de trainees da empresa.

Abaixo um texto de Salomão explicando o impedimento:

“Meu impedimento para o caso da 4 Turma (dos Gradim) ocorreu apenas no momento em que ele estava sendo contratado, pois era estagiário na empresa.

Depois disso, julguei várias questões envolvendo diretamente a Odebrecht e nunca houve suspeição.

Não conheço, nunca falei nem nunca vi nenhum diretor da Odebrecht.

Com mais razão, na questão penal, não envolve a empresa, mas as pessoas dos diretores.

Inclusive, prossigo com a relatoria da LJ na Corte Especial do STJ, e nunca houve nenhum problema.

Portanto, seja do ponto de vista legal, moral ou ético, não há qualquer impedimento ou suspeição”.

1 Comentário

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    Toda vez que abre uma vaga é mesma conversa fiada: de um lado a assessoria de imprensa de alguns sempiternos candidatos, começam a plantar currículos, notícias e entrevistas dos tais “bem cotados” (auto-cotação por óbvio); de outro lado, a mídia e setores interessados lançam alguns candidatos (alguns por preferência, outros para fritar em azeite fervendo) para expô-los e ver o que acontece. É o país do Chacrinha, onde tanto faz se as pessoas são candidatas a altos cargos da República ou ao BBB.

Comente