Uncategorized

A legítima herança maldita, segundo Traiano

unnamed25

Ademar Traiano*

O governador gaúcho José Ivo Sartori (PMDB) se debate com uma legítima herança maldita deixada pelo antecessor, o ex-governador Tarso Genro (PT). Além dos desequilíbrios financeiros, bombas-relógio como os reajustes salariais concedidos pelo antecessor.

Sartori tem a obrigação, por lei, de conceder reajustes, alguns de até 13,6%, todos acima 10% ao ano, até 2018. Uma conta que não fecha, em um estado oficialmente em “calamidade financeira” e em um país em recessão e com inflação declinante.

O caos financeiro é tamanho que o estado não tem conseguido honrar a folha de pagamentos do funcionalismo. Parcela salários e décimo-terceiro. Carros de polícia estão sem gasolina e os investimentos caíram a zero.

Longe de comemorar a tragédia vivida pelos gaúchos, cito esses dados para destacar a diferença da situação vivida pelo Paraná, governado pelo PSDB, que promoveu um rigoroso e, selvagemente combatido, ajuste fiscal no início de 2015.

Graças a ele o Paraná vive uma situação invejável. Apesar disso, setores da oposição e da mídia, fazem malabarismos risíveis para encontrar um viés negativo na realidade vivida pelo nosso estado.

Uma publicação local deu como manchete que o governador Beto Richa não teria cumprido as metas de investimento previstas no Orçamento. Teria investido “apenas” R$ 1,73 bilhão.

Para tentar tornar negativo um fato, evidentemente positivo, o jornal “esqueceu” os investimentos das estatais paranaenses, de R$ 4,05 bilhões. Somado ao 1,7 bilhão que saiu do Tesouro do estado, dá um total de R$ 5,79 bilhões de investimentos.

Só mesmo nosso folclórico espírito autofágico poderia enxergar nesses números exuberantes, que deveriam ser comemorados, um evento negativo a ser lamentado.

* Ademar Traiano é deputado estadual, presidente da Assembleia Legislativa do Paraná e presidente do PSDB do Paraná.

2 Comentários

  1. Atento da Silva Responder

    Esse cara é um gozador. Foi feito o ajuste após terem quebrado o Estado.
    Corte as despesas da AL inclusive os ganhos dos deputados.

  2. Acho que cada um deve cuidar do próprio rabo. E por aqui, as notícias desse montão de dinheiro em investimentos só sai nesta coluna. Já que é assim a coluna poderia detalhar onde foram feitos todos esses investimentos. Eu disse “detalhar”.

Comente