Uncategorized

PT libera voto em Eunício e compõe com PMDB

Sem se entender sobre a própria posição na eleição para a Presidência do Senado, o PT liberou a bancada para votar no peemedebista Eunício Oliveira. Mesmo sem formalizar um apoio a ele, indicaram composição com o PMDB ao enviar ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), na manhã desta quarta-feira (1º/2), indicação para que José Pimentel (CE) seja eleito primeiro secretário do Senado pela chapa de Eunício. As informações são d’O Globo.

Os petistas passaram os últimos dias tentando fechar um acordo sobre a posição na eleição do Senado. Parte da bancada defendeu a composição com Eunício como forma de assegurar um espaço na Mesa Diretora e o comando de comissões permanentes. Era a posição do líder Humberto Costa (PE), Jorge Viana (AC) e José Pimentel. Eles dizem que não é um acordo com “golpista”, mas apenas a segurança de que o critério de proporcionalidade, previsto pelas regras da Casa, seria respeitado.

Por essa regra, os espaços de poder do Senado são distribuídos de acordo com o tamanho das bancadas. Assim, o PT, com 10 senadores, tem direito à quarta indicação para um lugar na Mesa e consegue fazer uma indicação para a Primeira Secretaria.

Lindbergh Farias (RJ) e Gleisi Hoffmann (PR) batem o pé de que, articular essa composição com Eunício, é fazer um “acordo com golpista”. Defenderam que a bancada se posicionasse claramente contra o peemedebista, como uma reação ao impeachment da ex-presidente Dilma. Eles e Fátima Bezerra (RN) foram votos vencidos na bancada, que, por 7 x 3, decidiu liberar os senadores e, na prática, compor com Eunício.

O trio lançou nota depois da derrota. “Superestimando a luta institucional e insensível ao apelo da militância, a maioria da bancada preferiu não tomar uma posição clara, autorizando os senadores a votarem como bem entenderem. É realmente lamentável. Um equívoco político que cobrará seu preço”, dizem os três senadores.

Na Câmara, prevaleceu o discurso contra o “golpe”. A bancada decidiu apoiar André Figueiredo (PDT-CE), candidato de oposição ao governo Temer. A escolha também não foi fácil. Os petistas chegaram a articular com Rodrigo Maia (DEM), para também assegurar lugar na Mesa da Câmara. Mas, diante da pressão, acabou fechando com André.

3 Comentários

  1. O PT é um partideco de quinta categoria mesmo. Agora que o barco
    afundou vai apoiar o arquirival PMDB !? Quem afoga agarra até em
    pedaço de palha boiando…

Comente