Uncategorized

Projeto de Lei institui rota turística dos parques do Paraná

IMG_1144

Com o objetivo de estimular o turismo no Estado, a Deputada Estadual Maria Victoria (PP) apresentou na Assembleia Legislativa do Paraná o Projeto de Lei 34/2017 que institui a Rota Turística dos Parques do Paraná. O projeto também visa a contribuição com a preservação do patrimônio natural e a promoção da educação ambiental.

Na justificativa do projeto, Maria Victoria lembrou das palavras do ex-secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná e atual presidente do ICMBio, Ricardo Soavisnki, para quem “O potencial ambiental, turístico e comercial dos parques podem melhorar significativamente e, ao mesmo tempo, gerar renda, emprego para as comunidades das regiões dos parques, além de proporcionar lazer e turismo de mais qualidade para a população”. De acordo com a deputada, o fato de parques estaduais se constituírem em locais de grande fluxo de visitantes é uma grande oportunidade de desenvolvimento para as comunidades locais.

O Projeto agora passará pelas Comissões Permanentes, antes de seguir para votação em Plenário. Segundo o texto, a Rota será incluída no Calendário Oficial do Estado do Paraná e o Poder Executivo poderá regulamentar a Lei, para seu efetivo cumprimento.

Rota Turística dos Parques do Paraná: De acordo com o Projeto, a Rota será composta pelos seguintes Parques: Parque Estadual de Amaporã; Parque Estadual do Boguaçu; Parque Estadual da Cabeça do Cachorro; Parque Estadual de Campinhos; Parque Estadual de Caxambu; Parque Estadual de Cerrado; Parque Estadual Graciosa; Parque Estadual do Guartelá; Parque Estadual de Ibicatu; Parque Estadual da Ibiporã; Parque Estadual da Ilha do Mel; Parque Estadual João Paulo II; Parque Estadual Lago Azul; Parque Estadual das Lauráceas; Parque Estadual Mata dos Godoy; Parque Estadual Mata São Francisco; Parque Estadual do Monge; Parque Estadual de Palmas; Parque Estadual Pico Paraná; Parque Estadual do Pau Oco; Parque Estadual do Penhasco Verde; Parque Estadual Pico do Marumbi; Parque Estadual Prof. José Wachowicz; Parque Estadual do Rio Guarani; Parque Estadual do Rio da Onça; Parque Estadual Roberto Ribas Lange; Parque Estadual de Santa Clara; Parque Estadual de São Camilo; Parque Estadual Serra da Baitaca; Parque Estadual da Serra da Esperança; Parque Estadual do Vale do Codó; Parque Estadual de Vila Rica do Espirito Santo; Parque Estadual de Vila Velha e Parque Estadual Vitório Piassa.

2 Comentários

  1. -Mais uma lei que não será cumprida e ainda gerará mais custos aos contribuintes do estado. Daqui a pouco, a AL criará outra lei regulamento alguma ação que seja necessário criar uma autarquia para gerenciar e fiscalizar alguma coisa(que na verdade será somente cabide de emprego) e quem pagará a conta???? Adivinhem???
    -E outra irão criar mais parques onde a exploração da atividade comercial precisará de mais licenças, projetos de impacto ambiental e um infinidade de documentos…daqui a pouco será proibido escalar o Pico Marumbi e o Pico Paraná…a Ilha do Mel não poderá receber melhorias e diminuirá o número de frequentadores pois gerará impacto desenfreado….
    -Esperem que haverá mais desdobramentos…haverá os eco-chatos impedindo alguma atividade lucrativa nestes parques….
    -É o terrorismo do estado baseado em leis que mais uma vez atormentará a vida do cidadão comum!!!

Comente