Uncategorized

Dos perigos de misturar leis e religião

O deputado federal Hidekazu Takayama, do PSC do Paraná, coordena a bancada evangélica na Câmara dos Deputados desde abril. No ano passado ele encaminhou projeto de lei para isentar pastores e líderes religiosos dos crimes de injúria e difamação.
Apesar de sermos, por Constituição, um país laico, a bancada existe para “defender os preceitos cristãos e a concepção de família formada por um homem e uma mulher”.
Pois bem, Takayama é contra o casamento gay e justifica que permiti-lo é errado porque “Amanhã ou depois vão abrir o padrão para dizer que pode fazer sexo com criança, pode fazer sexo com animal e tudo bem”.

Entre outras coisas, o deputado acha que lugar de mulher é em casa, cuidando do lar e dos filhos e, pelo visto, não lava a louça depois do almoço: “Se o homem ficar em casa, então estão criando o protótipo do homem maricas hoje. O homem feminilizado. Mas o homem não foi feito para isso”.
Apesar de tudo ele afirma que defende a criminalização da homofobia, “Homofóbico tem que ir preso.”

Em 2015 Takayama apareceu nos jornais em troca de socos com o motorista de Delcídio Amaral. E um pouco antes ele se tornou réu no caso “Gafanhoto”, esquema usava cargos na Assembleia para benefício próprio dos deputados.

7 Comentários

  1. “Defendo a liberdade religiosa em toda sua plenitude, não se pode querer que ela seja exercida nos porões, no submundo, na escuridão, as escondidas. Vivemos sob a égide de um Estado Democrático e esse direito é uma das clausulas pétreas de nossa constituição. Gostaria de perguntar ao autor desse ‘primoroso’ texto porquê nós deveríamos nos envergonhar das nossas bandeiras de luta? Para nós a bíblia é como uma constituição. Acho risível, hipocrisia elevada a 10ª potência quando se trata de defender outras religiões e outras liberdades individuais se portam como verdadeiros paladinos da justiça. Mas quando os evangélicos ou seus representantes no congresso defendem teses. Vem com subterfúgios, prolixia, verborragia, dicotomia, palavras enfeitadas para tentar justificar o seu PRECONCEITO contra uma classe que é grande e representativa da sociedade. O que há, se é que há, de errado em defendermos esses preceitos? TODOS os outros segmentos da sociedade e todas as outras religiões fazem isso, porquê nós não podemos? Se fosse um budista, espirita, candomblé, católico, xintoísta, judeu, muçulmano (Xiita ou Sunita). Ou qualquer outra religião. Daí não falam nada. Ou se falam é sempre contemporizando, vendo o lado bom da fé deles. Quando somos nós. Só somos usados como mau exemplo a não ser seguido. Bando de hipócritas. Não enxergam um centímetro além do próprio umbigo. Todas as religiões tem os bons e maus. Exemplos a serem seguidos e exemplos a não serem seguidos. Jornalistas chapa branca e Jornalistas isentos que não pegam jabá. Engenheiros bons e Engenheiros maus. Médicos éticos e Médicos sem ética. Deputados e Senadores Idôneos e aqueles que não são. O pior tipo de cidadão é aquele que tem vergonha de sua fé ou que se esconde para que não saibam que ele é dessa ou daquela igreja. Isso nunca. Jamais. Minha é é CRISTOCÊNTRICA e não me envergonho dela. Ao contrário…” – Profº Celso Bonfim

  2. eleitor desmemoriado Responder

    Adoro demagogos, mentirosos mas especialmente hipócritas, eles parecem sempre estar tentado esconder alguma coisa, o que será? Demagogos, mentirosos e hipócritas que digam o que é.

  3. Carlos Ernandes Responder

    Cristão autêntico não combina com a política e os meios para obter mandatos . Não é o caso de Takayama: ele sempre almejou o poder e a glória dos homens.

  4. Stanislau Sarmienko Responder

    Verdade seja dita, a instituição religiosa não é um clube social. Portanto, a Constituição no Art. 5º e inciso VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos…culto e a suas liturgias. A igreja é uma instituição aberta para receber todos indistintamente, porém, ninguém tem o direito de interferir na doutrina que norteiam os princípios que balizam a fé de suas comunidades. A igreja como instituição tem por principio de valores sociais, acolhimento, orientação, conforto espiritual, acalantar as angustias da alma e avivar a esperança do porvir.
    A igrejas evangélicas tem a suas doutrinas fundamentada no evangelho de Cristo. Não é diferente no Vaticano, quem determina os dogmas e as encíclicas da igreja são os colegiado de bispo, arcebispo e papa. O Budismo tem suas doutrina baseada nos ensinamentos de Buda e de seus sucessores, o Islã no Alcorão… Ninguém é obrigado a frequentar ou fazer parte de uma instituição religiosa! Não será um grupo de GLST ou de qualquer outra organização que vai mudar.

  5. meus amigos se o cara paga imposto, é honesto, trabalhador, se ele casa com um gay, lesbica, travesti, homem, mulher, indio, negro, japones, isso é escolha dele. Quem somos nos para dizer com quem vc pode ou nao casar? vc paga seus impostos, vive de maneira honesta e civilizada, portanto, qual a moral do estado para decidir se vc pode ou nao casar com o sujeito x, y ou z

Comente