Uncategorized

Vem aí a reforma ministerial

Por mais que a turma do Palácio negue, vem aí uma reforma ministerial. Após saltar a enorme fogueira da denúncia da Procuradoria Geral da República, o presidente Michel Temer vai se dedicar a cumprir acordos que negociou para garantir a vitória na Câmara, o que deverá implicar em mudanças no ministério. Políticos que se beneficiaram do governo Temer e ontem votaram contra ele perderão espaço, e os respectivos partidos, como PSDB, podem até perder ministérios. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Atento e meticuloso, Temer agora sabe nome e sobrenome de todos os que o ajudaram a escapar da degola. E todos serão prestigiados. O PMDB, partido de Michel Temer, é o mais determinado a não deixar baratas as traições. Seus afilhados perderão os cargos no governo.

Após cumprir a promessa de ficar no governo até ontem, Aloysio Nunes, de discreta atuação no Itamaraty, poderá ser o primeiro a cair. Além de mudar a cara do governo, o presidente Temer já avisou aos mais próximos que vai retomar com força a reforma da Previdência.

5 Comentários

  1. Doutor Prolegômeno Reply

    Bobagem. Pessoas que tem um enorme telhado de vidro, não podem se dar ao luxo de cultivar inimigos, como quem coleciona selos, sem deixar que o tempo esmaeça as cores da vingança. Para se salvar das enormes armadilhas que armarão, ele sabe que precisa adoçar o bico de muita gente. O resto é papo furado.

  2. Certíssimo! Pra que prestigiar aqueles que não estão ao seu lado. Agora esse colunista Cláudio Humberto do Globo só da bola fora. Garantia que o Temer tava fora, agora ele e a Globo estão semeando a catástrofe.
    Quer notícias negativas vem pra globo que tem.

  3. Tomara que não tire o notável Ricardo Barros, ele tem a missão de ajudar a eleger a esposa governadora, e a filha deputada federal, pra dai sim o Paraná chegar ao fundo do poço, falta pouco. Ah! Só uma perguntinha, tem algum político do Paraná que não está envolvido em algum escândalo?

  4. O governo terminou quando juntou ao Joesley e jogou terra por
    cima do próprio corpo quando começou a negociar cargos em troca
    dos votos a seu favor. Exatamente como os traficantes fazem.

  5. Apesar de utópico, se o Temer renunciasse sairia pela porta do
    lado e não pelos fundos como vai ser no final de 2018. Mesmo con-
    seguindo se manter no poder o descrédito é tão grande que nem a
    mulher dele confia mais nele.

Comente