Uncategorized

Vereadores divergem em plenário sobre ‘Segunda sem carne’

A proposta protocolada na semana passada na Câmara dos Vereadores que pretende instituir a campanha internacional “Segunda sem carne” na rede municipal de ensino causou debate entre vereadores.
Goura, um dos autores da proposta, defende que a “alimentação não é apenas nutrição, também é educação. Quem sabe a gente construa um novo modelo de como a alimentação deva ser servida nas escolas municipais e nos CMEIs”.
Mestre Pop é contra a iniciativa e seu argumento é que “o projeto não condiz com a realidade da nossa Curitiba. Ao retirar a carne da dieta escolar uma vez por semana, estaríamos privando as crianças de um direito que o Município oferece a elas”. Para ele, muitas crianças carentes têm como “estímulo maior de ir à escola a alimentação”.
Felipe Braga Côrtes (PSD) também disse ser contrário à proposta. “Não vejo como razoável obrigar a escola a não oferecer carne, substituir por alimento vegetal, soja ou outro. Ao se fazer uma lei para não poder ter carne se tira o direito daquele que quer comer”, opinou. Líder do prefeito na Casa, Pier Petruzziello (PTB) avaliou que “não há como o legislador impor uma situação como esta, de vai comer isto, não vai comer aquilo”.

O projeto está em tramitação, enquanto isso, a realidade nas escolas públicas aponta situação calamitosa dentro e fora das cantinas.

5 Comentários

  1. Uma vergonha, as crianças vão a escola para primeiro comer, porque em casa não tem alimentos controlados e balanceados. O fornecimento da merenda já duvidosa, a famosa quentinha do Gusso, que muitas professoras relatam ser uma gororoba… e agora tem esperto querendo tirar a carne das crianças… OS VEREADORES DE CURITIBA DEVIAM IR CATAR QUIABO, BANDO DE INCOMPETENTES, PORQUE NÃO VÃO SEM ALARDE FISCALIZAR A MERENDA,,, BANDO DE FROUXOS…

  2. Adelino Zanella Responder

    Nosso pais está realmente perdido. Quem é esse tal de Goura ele não tem o que pensar na vida. Nosso Município esta as mil maravilhas por isso projetos tão brilhantes.

  3. eleitor desmemoriado. Responder

    Me Deus do céu, como é que propõe uma barbaridade como esta? Vereador que propõe isto é porque desconhece a realidade das crianças que estudam nas escolas municipais. Para elas a carne é um plus, um algo mais que só tem acesso na escola e, o infeliz quer privar estas pobres crianças dela, da carne? Porquê os infelizes autores de proposta tão infeliz não propõe isto às escolas particulares? Nestas as crianças comem carne todos os dias.

  4. Eu como carne quando quiser,nenhum imbecíl desses que fica inventando isso,tem que se meter na minha vida.

Comente