Uncategorized

Ambulantes da discórdia

Ânimos exaltados entre alguns vereadores na sessão de ontem. Defensora do Termo de Ajustamento de Conduta para regulamentação dos bares em Curitiba, a vereadora Julieta Reis não gostou nada-nada da sugestão do colega Felipe Braga Côrtes para que a Guarda Municipal fiscalize os ambulantes da região do Shopping Hauer, no Batel. “As pessoas que vão vender nas portas dos bares não têm licença, mas têm que ser tratados com dignidade. Quem faz a fiscalização é a Secretaria do Urbanismo”. E mais, Julieta quis dar uma enquadrada social-geográfica no vereador: “Então o vereador ‘Felipe do Batel’, que está defendendo os bares do Batel, quer por a polícia para tirar os ambulantes de lá”.
Para Julieta Reis, a lei responsável pela regulamentação do comércio ambulante, “trouxe paz à cidade”. “Eles (ambulantes) não podem vender bebida alcoólica. Mas não à polícia, não à guerra. A Guarda Municipal tem sua função”.

4 Comentários

  1. Nâo renovar alvarás ou determinar horários destes bares para nâo pertubarem mais os moradores da região.

  2. Com esse desemprego deixem os ambulantes em paz. A sociedade degradou como um todo e não vai ser medidas policiais que vai resolver.

  3. A vereadora se elege já faz anos pelos votos dos feirantes, boa parte daqueles do setor histórico.
    Vamos ver se ambulantes ficarem a fazer concorrência com o pessoal da “feirinha” se o seu pensamento será o mesmo.
    Outro ponto, é que agora a Guarda Municipal tem sim poder de polícia. Será que a vereadora não descobriu isso ainda.
    Hoje mesmo a Guarda enquadrou um pessoal lá no Parolin, suspeitos de assalto a um ônibus, com ações policiais, “mão na cabeça, braços no muro, pernas abertas, revista, doze na mão etc”
    Aliás já de muito tempo a Guarda Municipal não tem as funções de seu início, “cuidar do patrimônio público”, como escolas, por exemplo.
    Então vereadora, compareça lá no Shopping Hauer, e veja o que acontece a noite e mesmo ao dia com os tais ambulantes, ou melhor, abra um espaço na frente de sua residência para que ambulantes, fora de suas zonas pratiquem o comércio irregular.

Comente