Uncategorized

Junção de escolas revolta pais em Curitiba

Pais confeccionaram panfletos, criaram uma página no Facebook criticando a unificação e iniciaram um abaixo-assinado contra a mudança

Pais de alunos matriculados em dois espaços municipais de Curitiba estão se mobilizando contra uma unificação programada para o próximo ano, envolvendo mais de setecentos alunos e profissionais da rede. As informações são da Banda B.
A instalação onde funciona a Escola Municipal Profª Maria Nicolas, no bairro Vila Izabel, não terá o contrato de aluguel renovado e a Prefeitura de Curitiba decidiu realocar a equipe docente e os alunos no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Nice Braga, no bairro Santa Quitéria. Por meio de nota, a Secretaria de Educação informou que o CMEI possui, atualmente, pelo menos oito salas ociosas e que as unidades funcionarão de formas distintas.
A decisão sobre a unificação deixou os pais insatisfeitos. Embora o prédio atual onde funciona a escola Maria Nicolas precise de manutenções e espaços abertos aos alunos, os pais reclamam a falta de um debate e troca de informações com a comunidade escolar.

“Eu não sou contra essa mudança do Maria Nicolas, sou contra da maneira impositiva como foi feita. Não chamaram os pais para um debate, simplesmente anunciaram e pronto. Não perguntaram nada para os pais, para a comunidade, nada. Nós fomos informados já há algumas semanas e os pais do Nice Braga só souberam disso hoje”, disse a mãe de um aluno do 1º Ano do Ensino Fundamental, Aline de Freitas Homann.

Segundo ela, as informações sobre a não renovação do contrato da escola com os proprietários seria devido ao não pagamento do aluguel por parte da Prefeitura de Curitiba, há meses. “O Maria Nicolas estaria há muito tempo sem pagar o aluguel e isso motivou essa mudança. Então, eles terão de sair de lá, em algum lugar as crianças terão que ficar. Estou preocupada porque meu filho está sem sala de aula para o ano que vem”, declarou, em entrevista à Banda B.

A Prefeitura de Curitiba informou, por meio de nota, que a decisão de não renovar partiu do proprietário, mas não especificou o motivo.

Estrutura

A preocupação dos pais é principalmente pela inviabilidade de acomodar todos os alunos em apenas uma unidade, que abriga bebês e crianças até cinco anos. Um caminhão carregado com materiais de construção esteve no CMEI Nice Braga para dar início a uma reforma para construção de novas salas de aula. Pouco antes, houve a primeira reunião da direção com os pais, que ficaram revoltados com a junção e alegaram que diversos espaços da educação infantil serão perdidos.

“Não fizeram reunião com a gente, começamos a saber disso por causa de outros pais que têm os filhos matriculados no Maria Nicolas. Começamos a nos mobilizar para saber se isso era verdade. A reunião aconteceu hoje, enquanto descarregavam materiais lá fora”, criticou a professora Roberta Ravaglio, que tem um filho matriculado no CMEI há um ano, e falou com a Banda B, na manhã de hoje (26).

Para a professora, os pais do Nice Braga se solidarizam com os pais do Maria Nicolas, que ficarão desalojados, mas alegam que a mudança tratá sucateamento na educação. “Essa escola mal comporta os nossos. Teremos prejuízos pedagógicos, de organização do espaço para as crianças das duas escolas. Pode acarretar na diminuição de salas, levando a menos vagas em ambas escolas. A prefeitura fala tanto em democracia, mas não foram nada democráticos”, opina.

A dúvida sobre as obras também deixam os pais preocupados. Não há, segundo eles, um projeto para o andamento da construção – que está sendo chamada de reforma, segundo a direção do CMEI Nice Braga. “Não tem projeto, não tem licitação para a construção de uma escola. Disseram em reunião que não haveria obras, mas parece que estão escondendo (VÍDEO)”, denuncia outra mãe, que também tem uma filha matriculada no CMEI.

1 Comentário

  1. UÉ ! Não faltavam vagas nos CMEIS ? Seria essa atitude uma das promessas de campanha ou aquele ” se não sabe fazer deixa que eu faço”

Comente