Uncategorized

Sobre a transferência de Cabral

No capítulo mais recente da novela do ex-governador do Rio de Janeiro, a trama caminhou mais um pedaço em direção ao infortúnio de Cabral. Em seu depoimento, no início da semana, Sergio Cabral mencionou a família do juiz Marcelo Bretas. Quando falavam sobre lavagem de dinheiro, comprando joias da H.Stern, Cabral disse que isso seria uma burrice porque quando as peças saem da joalheria perdem o valor e em seguida disparou: “Vossa Excelência tem um relativo conhecimento sobre o assunto porque sua família mexe com bijuterias. Se não me engano, é a maior empresa de bijuteria do Estado”. Bretas discordou e o ex-governador justificou dizendo “são informações que me chegaram”. O juiz não gostou, sentiu ameaça no tom e mandou transferi-lo para um presídio de segurança máxima no Mato Grosso do Sul.
Tem gente que apoia a decisão de Marcelo Bretas e tem gente que é contra.

O conselheiro do Tribunal de Contas de São Paulo Dimas Ramalho acha que Cabral se dirigiu ao juiz com uma postura típica de um chefe de máfia, que ele é um preso ‘institucionalizado’, que parece comandar o crime por ter sido governador do Rio. E isso o leva à possibilidade de ter informações privilegiadas, visitas fora de hora, um tratamento especial. Para Ramalho o lugar dele é mesmo numa cadeia federal, onde estão criminosos que causaram grandes prejuízos ao país. O conselheiro compara Cabral a Escadinha, a Marcelo VP e outras grandes figuras do crime.

O reitor da faculdade Zumbi dos Palmares, José Vicente diz que parece uma questão de vingança: ‘falou da minha família’, vai receber o troco’. Também citou o fato de que uma medida dessa natureza é inócua, porque seja no Rio de Janeiro, seja no Mato Grosso do Sul, levar e trazer informação é algo ordinário no sistema penitenciário brasileiro.

Cabral será transferido para o presídio federal de Campo Grande, unidade em que está preso um dos líderes do Comando Vermelho do Rio de Janeiro. Por questão de segurança, a data não foi informada – mas isso deve ser para consumo externo, já que dentro dos presídios todo mundo sabe tudo o tempo inteiro.

1 Comentário

  1. alguem da alta corte tem que peitar aquele que em parceria com os crimonosos do colarinho branco ESTÃO MATANDO O POVO BRASILEIRO.
    PARABENS MINISTRO BARROSO.

Comente