Uncategorized

PT recua e se alia a “golpistas”

Ricardo Noblat

No ano passado, com o consentimento de Lula, a direção do PT baixou uma resolução logo depois do impeachment da ex-presidente Dilma proibindo coligações nas eleições de 2018 com partidos ou políticos que tivessem apoiado “o golpe”.

Com o consentimento de Lula, o PT alagoano mandou a resolução às favas e anunciou seu apoio à reeleição de Renan Filho (PMDB), atual governador do Estado, e do senador Renan Calheiros (PMDB), pai dele. A desculpa: os dois se distanciaram do governo Temer.

Pai, filho e o partido deles apoiaram “o golpe”. Assim como o PSB com quem o PT negocia para disputar eleições no Nordeste. O impeachment dispensou o PT da ingrata tarefa de carregar até o fim o caixão do desastroso governo de Dilma.

Não fosse a Lava Jato, Lula, hoje, estaria numa boa.

3 Comentários

  1. LULA VETOU O PSDB COMO ALIADO!! LULA ODEIA O JEITO INTELIGENTINHO E HONESTINHO DOS TUCANOS!! O ÓDIO QUE LULA E DOS PETISTAS NUTREM EM RELAÇÃO AOS TUCANOS ADVÉM DO NOBRE SENTIMENTO DA IN-VE-JA!!!! A INVEJA É UMA MERDA, LULA!!!

  2. Como sempre, o PT é contraditório. Pena que a maioria de seus eleitores não vejam isso, pelo fato de serem pessoas simples, sem escolaridade. Outros, querem voltar ao tempo da alta das commodities e que o Brasil crescia pelo embalo do plano real e pela oferta de crédito. O excesso de prebendas e roubalheira resultou nessa crise.

Comente