Uncategorized

Justiça decreta prisão de motorista que matou cinco em acidente

https://youtu.be/ngvYq4zMt78

A Justiça decretou a prisão do motorista suspeito de causar um grave acidente na Linha Verde, em Curitiba, em que cinco pessoas morreram carbonizadas. Policiais da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) estão em busca de Douglas Henriques da Costa Gomes, de 21 anos, desde o início da manhã desta sexta-feira (10), para cumprir o mandado. Ele é considerado foragido da Justiça. O vídeo mostra o motorista a beber em uma festa pouco antes de causar o acidente. Informações da Banda B.

O caso aconteceu no último domingo (5) por volta das 6h no quilômetro 141 da BR-476, na região do bairro Pinheirinho. Douglas, motorista do Citroen Xsara Picasso, estaria em alta velocidade, no sentido Tatuquara, quando perdeu o controle do carro e bateu contra um Corcel, que vinha no sentido contrário.

No Citroen, havia quatro ocupantes – dois morreram – e, no Corcel, outras três pessoas, que não sobreviveram. Além de Douglas, apenas um passageiro que estava com ele saiu vivo do acidente. O condutor fugiu do local logo após a colisão, enquanto os carros envolvidos pegavam fogo.

As investigações iniciaram assim que uma equipe da Dedetran atendeu o local. Cerca de 15 pessoas foram ouvidas e mais de 10 vídeos da casa noturna que o motorista estava foram analisados. “Duas testemunhas, inclusive um passageiro do Citroen, prestaram depoimento e afirmaram que o suspeito ingeriu bebida alcoólica”, falou o delegado responsável pelo caso, Anderson Franco. O amigo sobrevivente ainda afirmou que eles estavam em alta velocidade.

O delegado ainda ressaltou que os vídeos analisados mostram o momento em que o suspeito bebia na casa noturna que frequentava momentos antes de dirigir. O rapaz foi indiciado por cinco homicídios dolosos, omissão de socorro, embriaguez ao volante, lesão corporal dolosa e por afastar-se do local de acidente. A pena para cada homicídio doloso é de 6 a 20 anos de prisão.

O inquérito policial deverá ser entregue a Justiça nos próximos dias.

Comente