Uncategorized

Pela cabeça da Luislinda

A ministra, ‘pobre, preta e da periferia‘, Luislinda Valois, pode ter que sobreviver apenas de sua aposentadoria. Mas não porque seus argumentos de escravidão não colaram, agora ela é alvo de um abaixo-assinado que pede sua exoneração.
Ainda que o documento não cause impacto prático, Luislinda já avisou que quer se candidatar a deputada federal ano que vem, o que a obrigará a deixar o cargo – e a escravidão.

3 Comentários

  1. Luislinda é representante modelo do PT (apesar de se dizer psdb que, no fim, é tudo igual).

  2. RICARDO JOHANSEN Responder

    Caro FÁBIO, essa mulher representa muito bem o tucanato geral. Está sendo querendo levar vantagem. Segue o muro, independente de onde o muro for. Contudo como militante tucana abusou ao manifestar-se como trabalhadora escrava. E desde quando tucano exerce atividade escrava. Pode muito bem realizar trabalho escravagista. A exoneração de imediato é uma exigência da sociedade enganada. Atenciosamente.

  3. Coitadinha desta pobre desembargadora aposentada pobre, preta e da periferia, corre sério risco de ser eleita deputada federal pelos baianos, mas aí ela não vai trabalhar de graça, em condições análogas à escravidão, porque deputado ganha bem demais.

Comente