Uncategorized

Acordo sobre perdas com planos econômicos

Uma batalha jurídica que se arrasta há 24 anos finalmente se aproxima de um desfecho. Instituições financeiras e poupadores chegaram ontem a um acordo sobre a indenização que será paga aos clientes pelas perdas acarretadas pelos planos econômicos nas décadas de 1980 e 1990. O valor das indenizações será um pouco superior a R$ 10 bilhões para mais de 1 milhão de ações judiciais.
Terão direito ao ressarcimento os poupadores que integram as ações coletivas representadas no acordo. Quem ainda não faz parte dessas ações e reclama indenização poderá aderir, num prazo ainda a ser divulgado. Mas terá de apresentar todas as comprovações exigidas e retirar eventual ação isolada. As ações individuais não farão parte do acordo; continuarão tramitando na Justiça.
Com informações do Estadão.

1 Comentário

  1. Doutor Prolegômeno Responder

    Os bancos jamais pagam nada. Quem paga são os contribuintes. Provavelmente, os bancos poderão usar em dobro como despesa dedutível ou outras manobras fisco-contábeis que, como sempre, farão com que o contribuinte pague a conta, mediante renúncias fiscais. O governo e os bancos não pagam nada, você, desgraçado contribuinte paga tudo.

Comente