Uncategorized

Greca critica MP por barrar a terceirização da saúde

do Bem Paraná

Em visita surpresa à Câmara Municipal de Curitiba, o prefeito Rafael Greca (PMN) criticou o Ministério Público por ter recorrido à Justiça para barrar o processo de terceirização da operação de serviços de saúde da Capital. Em prestação de contas do primeiro ano de seu segundo mandato aos vereadores, Greca culpou a promotoria pelo fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da CIC.

Em agosto, a Câmara aprovou projeto do prefeito que autorizava o município a repassar a Organizações Sociais (OSs), a operação de serviços de saúde na cidade. O MP recorreu, e em novembro, a 4ª Vara da Fazenda Pública concedeu liminar suspendendo a abertura de edital de licitação para a contratação dessas entidades. Segundo os promotores, a prefeitura não teria demonstrado o “esgotamento das disponibilidades de o Poder Público prestá-lo por meio da administração direta e indireta”.

“A UPA da CIC não foi aberta porque a doutora, promotora do Ministério Público, amarrou as minhas mãos. Quando ela desamarrar, eu abro. Agora já temos culpado para a UPA da CIC estar fechada – não é municipal”, disse o prefeito. “É a ditadura ignorante que não percebe a importância das parcerias, das terceirizações, do binômio eficiente que é um bom serviço público profissional, atuando junto com bons serviços terceirizados”, acusou Greca. “Embora o Conselho Municipal de Saúde tenha me autorizado a terceirização, a sua excelência, a doutora, não permitiu. Vou entrar na Justiça contra ela, vou a todas as instâncias da Justiça, porque quem quer governar Curitiba que se candidate, candidate-se a prefeito e concorra às próximas eleições”, afirmou o prefeito.

Greca também agradeceu os vereadores de sua base de apoio pela aprovação do pacote de medidas de ajuste fiscal. O pacote foi aprovado em junho em meio a fortes protestos de servidores, em sessões realizadas na Ópera de Arame, sob cerco policial, depois que manifestantes promoveram quatro invasões da sede do Legislativo para pressionar os parlamentares a rejeitarem as medidas. “Vocês não faltaram a Curitiba nesse ano difícil e histórico. O plano de recuperação permitiu que superássemos o quadro desolador (encontrado na prefeitura, com uma dívida de R$ 2,1 bilhão”, alegou o prefeito.

“Vergonhas” – Greca não poupou críticas ao ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT), citando várias vezes em seu pronunciamento “vergonhas que pesam sobre a gestão anterior.” Para 2018, ele prometeu investimentos de R$ 489 milhões em mobilidade urbana, a maior parte destinado à pavimentação de ruas. A esse valor, disse Greca, serão acrescidos os R$ 6 milhões economizados pela Câmara e devolvidos ontem à prefeitura. “Que se coloque (os R$ 6 mi da Câmara) também em pavimentação”, disse ele, afirmando que consultará os vereadores para definir ruas que receberão asfalto. “Neste ano conseguimos, em 52 semanas, fazer 66 ruas”, disse. “Na gestão passada, com a sofrível conservação, quase perdemos toda a malha viária da cidade. Agora vamos requalificar os corredores de transporte e vias periféricas”, prometeu o prefeito.

Greca defendeu o reajuste da tarifa de ônibus para R$ 4,25 em fevereiro deste ano, atribuindo a esse gesto a renovação da frota de ônibus iniciada agora, com dez ônibus novos. “Serão 175 novos ônibus em 2018. 25 ligeirões para o eixo norte-sul, ligando o terminal do Santa Cândida à Praça do Japão”, acrescentou, dizendo haver a possibilidade de, com novas obras viárias, levar a linha até o terminal do Capão Raso e do Pinheirinho.

“O restaurante popular do Capanema está pronto e será entregue nos primeiros dias de janeiro”, disse Greca. O prefeito também prometeu quatro trincheiras e um programa de eficiência energética que contempla o aproveitamento do biogás do Aterro da Caximba e placas fotovoltaicas no Paço Municipal e no Palácio 29 de Março.

2 Comentários

  1. Com certeza já deve ter um parceiro dele para essa fatia do bolo, tal qual Neolux, Cotrans e outras terceirizadas abocanhando serviços superfaturados com o retorno garantido para seu bolso, ele diz estar sem verba, tirando o que pode dos servidores de carreira para dar aos comissionados e criando memoriais para nada,para isso tem verba

  2. O MP tem que cair de pau em cima desse falastrão marqueteiro e arrogante!!! Você não disse que era o bom, Sr. Greca? Que sabia fazer e acontecer??? Tudo balela…a mesa enganação e conversa de todo político!!! Só aumenta imposto e corta a carne dos módicos servidores de carreira que ganham menos!!! E nem venha com esse papo de que não pode atender as reividicações dos servidores em detrimento da população….
    Se tivesse mesmo interesse na população abriria mão do seu próprio salário e cortava esses inúmeros cargos comissionados de seus aliados que não fazem nada pela população, apenas angariam votos em época eleitoral para se manterem mamando na teta da PMC!!

Comente