Uncategorized

Não há candidato

Pasmem, senhores, senhoras, senhoritas e assemelhados. Temer e Meirelles não são as únicas surpresas que podem ocorrer em2018 (nem as mais prováveis). Alckmin chefia um partido forte, com boas raízes no Centro-Sul. Doria já surpreendeu uma vez (embora nenhum de seus possíveis padrinhos vá se surpreender de novo). Há os corredores paraguaios Marina e Ciro – e se um deles acertar o ritmo? Álvaro Dias, Arthur Virgílio? Eu não apostaria em nenhum deles, nem em Bolsonaro ou Lula (mas também não apostaria contra eles). Joaquim Barbosa? Tantos candidatos só indicam que não há candidato nenhum.

6 Comentários

  1. Por falar em prováveis e improváveis candidatos, qual a origem da pesquisa eleitoral de ontem no “watzzap e pela internet”, para presidente da República e governadores de Estados, onde Bolsonaro liderou com folga em todo o Brasil, exceto no Estado da Bahia, conforme o site “www.eleicoesnobrasil.com.br/resultados”

  2. Claro que não há candidatos, são apenas “pré” candidatos, agora se o autor apenas reclama que há falta de “opções” aí já é outra questão, mas o fato é que depois de 1994 em diante só tivemos candidatos de esquerda contra esquerda (PSDB X PT), um fingindo que é “oposição” ao outro, o povo engoliu isso por mais de 25 anos, agora pintou um candidato de direita, estragou o angu dos socialistas, e agora ? Agora dano-se, será Bolsonaro com chances de se eleger no primeiro turno! Quem manda fazer o povo de otário!!

  3. O país vive a maior incerteza da história neste momento. Não há
    um único candidato que tenha pedigree para ser um Presidente da
    República. O único que salva ainda é o Álvaro Dias.

  4. Não vejo a hora de começar a corrida ao Palácio do Planalto, vamos ter tantos candidatos que ser difícil saber quem não é candidato. Felizmente temos um sistema “genial” de votação, a prova de fraudes, como jura a Justiça Eleitoral. Se usássemos ainda as velhas cédulas, coisa do passado, ser mesmo? a cédula seria imensa, que a sorte a nossa então. O problema não são as cédulas, são os candidatos, tantos e nenhum ao mesmo tempo.

  5. Roberto rodrigues Responder

    O Álvaro para chegar lá tem que deixar de ser travestido. Ninguém sabe o que ele é, nem onde está.

Comente