Uncategorized

Reforma da Previdência será prioridade no plano de Alckmin

Mesmo que o presidente Michel Temer consiga aprovar em 2018 a mudança mínima das regras de aposentadorias e pensões, uma reforma da Previdência “contundente” e focada nos benefícios ao funcionalismo deverá ser a primeira prioridade no Congresso de Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB à Presidência da República, caso seja eleito. A afirmação é do economista Roberto Giannetti da Fonseca, um dos escalados para ajudar na formulação do programa de Alckmin.

Em teoria, o PSDB apoia a reforma. Porém, seus deputados mostraram resistência em votar a favor dela. Sem ter os 308 votos necessários para aprovar a proposta na Câmara, o governo Temer decidiu deixar para fevereiro a apreciação do texto pelos deputados. As informações são do Estadão.

Em conversas com os especialistas, Alckmin avaliou que Temer errou ao priorizar a aprovação da regra de teto para os gastos públicos, em vez de impulsionar as mudanças na Previdência no período imediatamente após o impeachment, quando tinha votos no Congresso. O resultado é que o teto está ameaçado pelo crescimento dos gastos previdenciários.

Além da Previdência, pelo menos mais duas propostas de reforma estão em análise: a tributária e a do Estado. É consenso que o sistema tributário precisa ser simplificado, para dar mais competitividade à economia brasileira. “Não vamos cortar a carga num passe de mágica, como fez o Trump”, disse Giannetti. Mas ele acredita que é possível fundir tributos e pacificar a relação entre o Fisco e o contribuinte, que hoje é marcada pela hostilidade de parte a parte.

2 Comentários

  1. Sergio Silvestre Reply

    Quem sabe o Estadão e a Globo dão novo golpe e colocam o Alkmin como presidente “bionico” eles são carques em golpes.

  2. JORGE SANTANA Reply

    Essa velhacaria dos asseclas de TEMER só tem um objetivo: canalizar a cifra bilionária da providencia para os banqueiros.
    Desde o governo Lula, Meireles comanda uma quadrilha de banqueiros que sangram os cofres públicos, ao tempo em que compram a grande mídia para dissimular noticias ao povo brasileiro.

    Poucos perceberam a habilidade com que os banqueiros abocanharam as centenas de bilhões originários do FGTS. Sabedores de que pobres não suportam dividas, TEMER liberou a única garantia que esses miseráveis detinham, sob o pretexto de ajuda-los, sabendo que esse fluxo migraria, com dreno, para os caixas insaciáveis dos avarentos banqueiros.
    Se quizesse efetivamente ajudar os endividados, ombreariam esse devedores compelindo os banqueiros a recalcularem os juros abusivos e parcelando os valores devidos em parcelas suasórias.

Comente