Uncategorized

Ricos e pobres

Está no estudo “Efeitos redistributivos da política fiscal do Brasil”, feito por economistas do Ministério da Fazenda: a carga tributária de 33% do PIB (bem acima da média de 22% do PIB da América Latina) e a forte expansão do gasto público, que gerou um déficit primário de 2,5% do PIB e um déficit nominal de 9% do PIB, não foram capazes de reduzir a distância entre ricos e pobres, que faz do Brasil um dos países mais desiguais do mundo.

Ainda o estudo do Ministério da Fazenda: os 20% mais ricos da população brasileira abocanham 48,5% das transferências monetárias do orçamento público para as famílias. Os 20% mais pobres ficam com apenas 4,8%.

2 Comentários

  1. E infelizmente enquanto o nível da qualidade da educação pública continuar baixa, a tendência da grande diferença entre ricos e pobres aumentar é muito alta

  2. Infelizmente estes “técnicos” do MF não conseguem explicar o inexplicável, como num país com tantas dezenas de milhões de pobres uns poucos milhões de ricos ficam a cada ano que passa mais ricos? E a nossa carga tributária é vergonhosamente alta.

Comente