Uncategorized

Cenas de horror, relatam esposas de presos da Lava Jato

Na hora de se abaixar sem roupa em cima de um espelho, as mulheres tinham que se apoiar no braço de uma cadeira bamba. Claudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, teve que fazer isso com a perna quebrada.

Mulheres e mães de presos do Complexo Médico Penal de Pinhais, incluindo detidos pela Lava Jato, reclamaram das condições da revista íntima. Elas mandaram uma carta à administração do presídio relatando lixo, ratos, fezes de pássaros e mau cheiro no local. “O pátio de visitas, o lugar onde os custodiados e seus familiares tem a possibilidade de passar algumas horas reunidos para fazer uma refeição, é igualmente um lugar sujo, com teias de aranha pelas paredes, ratazanas correndo pela calçada, com fezes de aves espalhadas pelo chão e todo tipo de detritos que vão se acumulando no piso, nas mesas e bancos pela falta de limpeza frequente”. As informações são do Poder 360.
Dois dias depois da reclamação, foi feita uma reforma e limpeza no local. Instalaram barra de agachamento, um novo espelho e ventilador. Um scanner corporal foi comprado e será instalado em 30 dias. O aparelho exclui a necessidade da revista íntima.

Na hora de se abaixar sem roupa em cima de um espelho, as mulheres tinham que se apoiar no braço de uma cadeira bamba. Claudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, teve que fazer isso com a perna quebrada.
“Os banheiros da cancela estão sempre sujos e com um odor insuportável, os cestos de papel higiênico ficam cheios e os papéis sujos transbordam e ficam caídos pelo chão.
A sala onde é feita a revista feminina é muito suja, sempre com cabelos pelo chão, terra que vem nos calçados e outros detritos nos quais as senhoras são obrigadas a pisar quando tiram os sapatos para passarem pela revista física. Não obstante esse fato, ainda há um cômodo anexo a esta sala onde ocorre a revista, que em outros tempos não muito remotos foi um banheiro, o qual algumas vezes as senhoras são instadas a utilizar para terminar de se compor, que é igualmente sujo e desarrumado, cheio de entulhos, que mais se parece com um depósito”.

O local comporta cerca de 700 presos. Além dos presos de operações especiais, há detentos que precisam de cuidados médicos, agentes de segurança e detentos com mais de 60 anos. A iniciativa da carta é de mulheres de presos de todas as alas e recebeu apoio das ligadas aos presos da Lava Jato.

“A situação de desatenção em que se encontram as dependências do Complexo Médico Penal é lamentável, situação esta que submete os visitantes semanalmente a uma condição humilhante”, diz  trecho da carta.

Alguns dos presos do Complexo Médico Penal:

Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara (MDB);
Gim Argello, ex-senador (PTB);
Jorge Zelada, ex-diretor da área internacional da Petrobras;
Luiz Argôlo, ex-deputado federal (SD);
João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT;
André Vargas, ex-deputado federal (PT);
Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e Banco do Brasil.

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná diz que “desconhece” a carta. Informou que possui 5 scanners corporais instalados que atendem 10 penitenciárias. Nesta semana outros 20 serão instalados e atenderão a todas penitenciárias. Os aparelhos foram comprados com verba do Fundo Penitenciário Nacional e doações.

(Foto: Evaristo Sá/AFP)

A íntegra da carta:

Ao

Complexo Médico Penal de Pinhais/PR A/C
Diretor: Sr. Jeferson Walkiu
Vice-Diretor: Sr. Jeferson Pires

Ref.: Condições de limpeza e higiene da instalações

Vimos pela presente nos manifestar expressamente a respeito das péssimas condições de higiene e limpeza das instalações onde são realizadas as revistas corporais femininas, bem como dos banheiros, do pátio de visitas e da cozinha onde é feita a revista da comida.

A situação de desatenção em que se encontram as dependências do Complexo Médico Penal é lamentável, situação esta que submete os visitantes semanalmente a uma condição humilhante.

Vejamos…

Os banheiros da cancela estão sempre sujos e com um odor insuportável, os cestos de papel higiênico ficam cheios e os papéis sujos transbordam e ficam caídos pelo chão.

A sala onde é feita a revista feminina é muito suja, sempre com cabelos pelo chão, terra que vem nos calçados e outros detritos nos quais as senhoras são obrigadas a pisar quando tiram os sapatos para passarem pela revista física. Não obstante esse fato, ainda há um cômodo anexo a esta sala onde ocorre a revista, que em outros tempos não muito remotos foi um banheiro, o qual algumas vezes as senhoras são instadas a utilizar para terminar de se compor, que é igualmente sujo e desarrumado, cheio de entulhos, que mais se parece com um depósito.

O pátio de visitas, o lugar onde os custodiados e seus familiares tem a possibilidade de passar algumas horas reunidos para fazer uma refeição, é igualmente um lugar sujo, com teias de aranha pelas paredes, ratazanas correndo pela calçada, com fezes de aves espalhadas pelo chão e todo tipo de detritos que vão se acumulando no piso, nas mesas e bancos pela falta de limpeza frequente. O banheiro deste pátio, apesar de ter tido uma reforma de aparência com troca das portas e pintura, é um lugar muito sujo e com um péssimo odor, dificultando por vezes a ocupação das mesas que se localizam próximas.

A cozinha onde é feita a vistoria na comida levada pelos visitantes também é um lugar que não possui a mínima condição de higiene necessária à manipulação de alimentos.

Enfim, de todo exposto, temos que as condições de utilização das dependências do CMP pelos visitantes são muito precárias, diria até mesmo desrespeitosas, uma vez que submeter os visitantes e os custodiados a tais ambientes fere a dignidade da pessoa humana.

O momento da visita é um momento de comunhão, é a hora em que as famílias se reúnem para fazerem uma refeição e o local que lhes é cedido para isso é um pátio sujo.

O mínimo que se espera de um Complexo Médico é que o ambiente seja salubre, limpo, higiênico, principalmente nos lugares que são frequentados pelo público em geral.

Cumpre-nos esclarecer que o que assinalamos neste documento refere-se a questões simples e de cunho administrativo, uma vez que basta uma rotina ordenada de limpeza para resolução dos problemas, porém, apesar de entendermos ser a manutenção das instalações do Complexo uma responsabilidade do Estado e da Administração da Unidade, também entendemos que existem questões financeiras que podem dificultar, assim, colocamo-nos a disposição para ajudar com o fornecimento de material de limpeza (água sanitária, vassoura, detergente, desinfetante, esponja e pano de chão), caso seja necessário, para que seja possível manter limpas, ao menos as dependências utilizadas pelos visitantes.

Diante do exposto, e com a certeza do direito a um tratamento digno, solicitamos providências no sentido de que as questões assinaladas acima sejam atendidas para o fim de serem mantidas limpas as dependências do Complexo Médico Penal utilizadas pelos visitantes em dias de visita.

Atenciosamente,

 

23 Comentários

  1. HORROR É FICAR EM UMA FILA DE UPA, E SAIR COM A CABEÇA CHEIAS DE MENTIRAS DE MÉDICOS SACOS DE BOSTAS QUE SÓ QUER O EMPREGO PARA FAZER BICOS.
    HORROR É TER QUE ENTRAR NA JUSTIÇA PARA RECEBER REMÉDIOS DO ESTADO. ENQUANTO ISSO, FAMILIAS PROSTITUTAS COM PODERES, GASTANDO OS TUFOS EM VIAGENS, COM CONTAS EM BANCOS FORA DO PAÍS, PORQUE SÃO VERBAS ROUBADAS DOS COFRES PÚBLICOS.
    HORROR É VER NOS NOTICIÁRIOS QUE UMA DETERMINADA ESPOSA DE UM VERME COM CARGO DE DEPUTADO GASTAR NO CARTÃO DE CRÉDITO, QUATROCENTOS MIL SÓ EM BOLSAS PERFUMES E JÓIAS. TINHAM QUE SER FUZILADOS EM PRAÇA PÚBLICA E AINDA A FAMILIA PAGAR OS CUSTOS!!!

  2. Bando de filhos da puta, acostumados ao luxo, Hotéis 8, 10 estrelas, roupa e sapatos de grife, alta culinária, bebidas caríssimas, gastando mundos e fundos (caso da chuchu beleza Claudia Cruz) que jamais conseguiriam com seus salários de deputados. E a população perecendo de fome, doenças, violência desenfreada, vivendo de migalhas, com um salário ultrajante. Esperavam o quê? Tratamento a pão-de-ló, queijo de cabra?

  3. Daniel Fernandes Responder

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Eles só não falam é que a roubalheira faz com que falte dinheiro para tudo neste país…
    Quando aparece na televisão filmagem de qualquer delegacia, presídio,etc., sempre superlotados, com instalações detonadas, estas pessoas nunca falaram nada.
    Agora que os presidiários são os entes queridos destas pessoas, elas chamam a atenção para isso.
    Poupem-me!

  4. Essa situação caótica é em todo o Brasil, o sistema não aguenta tantas revistas, deveria limitar o número de visitas com contato físico a uma por mês. As outras somente pelo vidro.

  5. Que horror, pelo xororô da coroa as condições são iguais ou até piores das que os presos nos campos de concentração alemães, nos gulags e nos campos de concentração chineses, coisa realmente bárbara.

  6. É preciso reduzir o número de visitantes aos presos. Visitas aos presos, principalmente as tais visitas íntimas, virou folia. Que negócio é esse? Prisão não pode ser comparada com hotel, muito menos hotel de luxo. Prisão precisa ser um LUGAR RUIM para que as pessoas não queiram ir para lá.

  7. Horror, é horror! Tudo bem! Devemos nos escandalizar com as situações impostas a seres humanos, criminosos mais ou menos, não importa, mas seres humanos. Agora, dar azo a essas mais “socialites” e menos socialistas é muita cara-de-pau. Horror, na verdadeira acepção do vocabulário é a descrição do comentarista Beto Fuscão. Isso é que é horror.

  8. Doutor Prolegômeno Responder

    Todo político, ou seus familiares, deveria passar umas semanas na cadeia para ver como funciona o sistema carcerário e quem sabe entender as necessidades para tentar melhorá-lo. Nada como a experiência prática para ensinar.

  9. Essas dondocas estão pensando que cadeia agora é casa de repouso, spa, e curtiram por muito tempo com o dinheiro afanado do povo e agora, cadeia neles.

  10. AHHHHH QUE PENINHA A PESSOA TEM QUE SABER QUE TEM SER CUMPLICE DE SEU MARIDO, QUANDO ESTAVAM NAS MORDOMIAS ERA LEGAL AGORA ACHAM UM HORROR, AHHH VSF CAMBADA DE FDP.

  11. eram ratazanas (animais) ou ratos corruptos ? toda essa falência múltipla da administração pública é pela falta de verbas que foram roubadas por “cidadãos” hoje presos ( parte deles). e afinal ladrão é ladrão!

  12. Pois é, se não fosse a ladroagem dela e de seu marido, além de tantos outros, de sua laia, teríamos um país melhor, com mais educação, saúde e COM CERTEZA, menos prisões e os poucos prisioneiros teriam por certo cadeias mais adequadas para um tratamento de reabilitação, preparando-os para seu retorno à sociedade…

    Agora, quer reclamar do que?

    Acho que prá esse tipo de gente tá bom demais!

  13. Uma ideia para as senhoras…aproveitem.o dia da visita e façam um mutirão de limpeza, levem de casa, baldes, panos vassouras, desinfetantes ( será que sabem ou já manusearam alguma vez tais objetos) e pronto….tudo cheirosos arrumadinho ..só curtir depois o amorzinho gostoso …

  14. Alguém aí sabe como é a revista íntima no Complexo Prisional de Pedrinhas?
    Por certo deve ser melhor do que em Pinhais…

  15. Sérgio Guerreiro Responder

    Ainda bem que esses ladrões saqueadores vagabundos da Lava-jato foram presos; “porque se eles não estivessem presos; outros presos familiares iriam aos gabinetes deles todos arrumadinhos para reclamar eles nem receberiam os reclamantes”;

  16. tem uma solução é somente está perua não vim visitar o marido por que no meu modo de pensar ali é um local para não ter regalias pois são criminosos vermes lixos da pior especie tem mais é que pagar pelo que fizeram e sua xarope esposa tambem deveria estar junto cumprindo pena pois e corrupta igual aos bandidos que lá estão sai fora perua vai lavar está cara sua verme

  17. Tudo isso é pouco diante dos que perdem suas vidas em filas de hospitais despejados pelos corredores , por falta de macas e leitos e atendimento público, ou por ter perdido a vida em um assalto ou por uma bala perdida; ou ainda quem tem apenas a sombra de um viaduto como um único teto disponível para se abrigar da chuva e do sol porque o Estado brasileiro foi saqueado por esses q faziam festas e compravam objetos fúteis e caríssimos,sem contar com altas somas em contas no exterior. Nada se compara com o que o pobre brasileiro suporta no País dos desiguais… enquanto a maioria dos políticos legislam em causa própria, o povo tem que sobreviver com um misero salario minimo, mesmo assim, quando encontra um trabalho para amenizar suas necessidades básicas.

  18. NÃO VOTE EM QUEM JÁ FOI Responder

    PQP, deve ser desajeitado dar uma rapidinha em cama de solteiro e ainda por cima de concreto.

  19. RICARDO JOHANSEN Responder

    Caro FABIO, essa população reclamante é a mesma que há pouco tempo atrás, bebia champagne em Paris. Lá eles tinham todos os DIREITOS desejados. Nesse momento e nos próximos 20 anos, eles teêm DEVERES a cumprir com o estado e a sociedade humilhada. Atenciosamente.

  20. Pelo menos o prisioneiro que está chegando não terá esses problemas: o condenado é viúvo e as relações com sua amante não estão as melhores.

Comente