Uncategorized

Ney apoia censo para autistas

O deputado Ney Leprevost, líder da Frente Estadual da Saúde e Cidadania, votou favorável nesta segunda-feira (18), Dia Mundial do Orgulho Autista, ao projeto de lei que dispõe sobre a realização do censo quadrienal das pessoas com autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Paraná.

O censo vai mapear as condições socioeconômicas das pessoas com TEA e seus familiares e identificará desde o grau em que transtorno se manifesta (leve, moderado ou grave) até a escolaridade. O Programa será executado pela Secretaria Estadual de Saúde, sem onerar os cofres do Estado, e proporcionará a elaboração de políticas públicas de atendimento para essa população.

O projeto prevê a realização do censo e seu cadastramento a cada quatro anos e as informações contidas no Programa serão sigilosas e com uso exclusivamente para fins estatísticos. Atualmente, o Estado do Paraná não tem ideia do número de autistas. Com a falta de dados oficiais, os autistas são uma população quase invisível.

Ney ressaltou a importância de políticas, ações e estruturas de apoio voltadas as pessoas autistas. “É muito importante que as mães, os pais, os profissionais das áreas de educação e de saúde se atualizem sobre este assunto. O esclarecimento evita muitos problemas. Queremos ver todas as crianças sendo respeitadas e compreendidas. O amor não tem limites”, afirmou Ney.

A proposta foi dos deputados Marcio Pacheco, Péricles de Mello e Maria Victoria.

<< Transtorno do Espectro Autista (TEA) >>

O Autismo ou Transtorno do Espectro Autista (TEA) é considerado um transtorno do neurodesenvolvimento que faz com que a pessoa pense e reaja a situações de maneiras atípicas. Quanto mais cedo ele for diagnosticado, mais rapidamente a família pode iniciar as intervenções adequadas que consistem em terapias diversas, fonoaudiologia, acompanhamento psicológico, ensino adaptado e/ou outras abordagens.

2 Comentários

  1. fabio campana deveria procurar os deputados que propuseram a lei em especial o deputado marcio pacheco, que se dedicou e fez um grande esforço para que se aprovasse a lei. .

  2. Tenho um filho AUTISTA ( Albano, com 34 anos de idade) , graças a Deus posso trata-lo dar tudo para ele. Só quero dizer o seguinte para quem tem filho com essa sindrome o melhor LOCAL para um AUTISTA viver é sem dúvida no LITORAL ……..moro aqui desde 1994, trabalho em Curitiba e região (hj a disposição de um órgão estadual) ….aqui eles são felizes e calmos. Pois como dizia falecido o professor criminalista Dr. Ronaldo Botelho, o MAR é o maior piscologo do mundo. Parabéns Deputado Ney e aos outros parlamentares. João Feio

Comente