Uncategorized

Mais uma sobre a estatal do trem-bala

Na semana passada, o blog noticiou sobre orçamento, altos salários e a falta de resultados da Empresa de Planejamento e Logística, a estatal do trem-bala, criada em 2012, no governo Dilma Rousseff.
Pois, pois, olha o tamanho do bolo: o presidente da encrenca é Jorge Bastos, tem em seu currículo importantes amizades como por exemplo com os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha; e também com Wellington Salgado, ex-senador pelo MDB, que o empregou como treinador do time de basquete de sua universidade e depois o indicou para comando da Agência Nacional de Transportes Terrestres, o trampolim para chegar à estação trem-bala.

(Foto: Darley Shen|Reuters)

1 Comentário

  1. eleitor desmemoriado Responder

    Esta deve ser a primeira estatal a ser privatizada, se é que há algum empresário maluco a ponto de comprar a ideia do trem-bala. E depois destas há outras dezenas, centenas de outros cabides de emprego que devem ser privatizadas. Ou simplesmente extintas.

Comente