Uncategorized

Recurso de Ogier Buchi pode mudar rumo da eleição no Paraná

do Bem Paraná

O advogado Ogier Buchi (PSL) afirma que protocolou nesta sexta-feira (5) recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para tentar reverter o indeferimento de sua candidatura ao governo do Paraná. A expectativa é de que o TSE julgue o recurso na segunda-feira (8). A importância dessa decisão depende do resultado das urnas. O candidato Ratinho Junior (PSD) trabalha para vencer no primeiro turno e disputa com Ogier Buchi os votos de apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Ogier é filiado ao mesmo partido e se apresenta como “candidato de Bolsonaro”. Caso faça determinado número de votos faltem a uma vitória precoce do candidato do PSD, sua persistência em manter a candidatura a contra-gosto do partido pode mudar o rumo da eleição.

Em agosto, Bolsonaro declarou apoiar Ratinho Jr, logo no início do período eleitoral, mas depois que o PSL já tinha candidato ao governo. Com isso, o diretório estadual do PSL, que é presidido por Flávia Francischini, esposa do deputado federal Fernando Francischini, passou a contestar a candidatura própria ao governo.

No mês passado, os desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) acataram a impugnação feita pela Executiva Nacional do PSL. O partido desistiu de lançar candidato próprio mesmo depois de ter convencionado o nome de Ogier Buchi. Contrariado, o político fez um registro individual de sua candidatura. Desde então, com status de registro indeferido com recurso, Ogier Buchi tentar reverter a decisão que o impediu de fazer campanha. Seu nome está nas urnas lacradas e devem aparecer normalmente aos eleitores que digitarem o número do partido para o governo.

Em uma batalha de liminares contra o próprio partido, Buchi fez campanha se apresentando como o “candidato que apoia Jair Bolsonaro”, presidenciável do PSL, mas que declarou apoio ao candidato Ratinho Junior (PSD). Desde quinta-feira (5), em decisão mais recente, Ogier voltou a ser proibido de fazer campanha. “Dessa (decisão) eu não recorri. A campanha já acabou, mas eu vou para rua, pedir votos, e isso eu posso fazer. Entrei hoje com o recurso que importa, no TSE”, disse.

Na pesquisa Ibope mais recente, divulgada no dia 27 de setembro, Ratinho Jr, aparece com 44% das intenções de voto para o governo, contra 17% da governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP). Ogier Buchi (PSL) tem apenas 2%, mas aposta colher um crescimento após sua participação no debate da RPC-TV, afiliada da Rede Globo. No programa, ele repetiu diversas vezes que era o candidato do PSL, de Bolsonaro. A repercussão na internet foi imediata. Com isso, caso as intenções de voto em sua candidatura aumentem, Ogier poderia tirar uma vitória de Ratinho Jr logo no primeiro turno.

Votos anulados

“Dependendo do resultado (da votação de domingo) isso (a decisão do TSE) pode ser importante ou não”, avalia Ogier. Mesmo que para Ogier a votação seja indiferente e que o TSE não aceite o recurso, os votos que ele fizer no domingo podem ser anulados, o que diminui o número de votos válidos no primeiro turno.

Ogier Buchi critica a postura dos envolvidos no embate. “Se essa é a nossa a ideia mudar a política, esse não é o exemplo. Me parece que não é uma traição do Francischini, é uma traição do Ratinho. O partido dele está coligado com o (Geraldo) Alckmin (PSDB). Ele traiu o Alckmin com o Alvaro (Dias, PODE) e agora traiu o Alvaro com o Bolsonaro. O poder pelo porder a qualquer custo”, dispara.

A pesquisa citada foi registrada no TRE sob o número PR‐07128/2018 e no TSE sob o número BR‐03369/2018. A margem de erro é 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram ouvidos 1204 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais entre os dias 24 a 26 de setembro. O nível de confiança é de 95%.

Comente