Uncategorized

Concessionária diz ter doado R$ 3 milhões em caixa dois para Gleisi

O Grupo CCR, responsável por gerir trechos das rodovias BR-277 e BR-376 no Paraná, fechou um acordo de delação premiada com o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) e acusou ter doado R$ 3 milhões via caixa dois para a campanha da então candidata a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), atual presidente do PT> As informações são do Bem Paraná e Folha de S. Paulo.

O relato da doação, que teria ocorrido em 2010, foi feito pelo ex-presidente da CCR Renato do Valle, em depoimento a promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado. A denúncia, segundo informou o jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (30/11), aponta ainda que Aloizio Mercadante (PT-SP), então senador, teria pedido R$ 3 milhões e recebido R$ 1,7 milhão, também via caixa dois.

A entrega do dinheiro, afirmou Renato, teria sido feita por um intermediário e o pagamento, por conta do alto valor, ocorreu em parcelas. Paulo Bernardo, ministro do Planejamento do governo Lula à época do pedido e também marido de Gleisi, é quem teria solicitado a doação.

Ao todo, a empresa, a maior do país em termos de concessões de rodovias, afirmou ter doado R$ 44 milhões para caixa dois de políticos, em valores corrigidos. Ainda não se sabe todos os nomes que fazem parte da lista de doações da empresa, mas não são apenas políticos do PT que estão envolvidos. Outros nomes já divulgados, por exemplo, são o do ex-governador e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), o senador José Serra (PSDB) e o ex-prefeito de São Paulo e atual ministro de Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab (PSD).

“Este senhor mente!”, diz senadora

Em nota encaminhada ao jornal Bem Paraná no final da tarde desta sexta-feira (30/11), a senadora e deputada federal eleita Gleisi Hoffmann se defendeu das acusações feitas pelo ex-presidente da CCR. A parlamentar nega ter recebido o montante para qualquer campanha e acusou Renato de mentir, dizendo ainda que “virou moda” fazer delação sem provas e vazar para a imprensa, “principalmente contra o PT.”

“Este senhor mente! Não recebi esse dinheiro para nenhuma campanha. Agora virou moda fazer delação acusatória, sem provas, e vazar para a imprensa, principalmente contra o PT e suas lideranças. Quero lembrar que já fui absolvida de um processo em que me acusaram desta maneira. Neste caso, por ser absolutamente infundada e mentirosa a acusação, sequer posso ser processada!”, escreveu Gleisi na nota encaminhada à redação.

5 Comentários

  1. SERGIO SILVESTRE Responder

    10023145147936 VEZES JÁ FOI NOTICIADO ISSO QUE LEMBRA A ALEMANHA NAZISTA ONDE UMA NOTICIA MENTIROSO ERA LEVADA AO AR CENTENAS DE VEZES AO DIA,E NOTEM SRS QUE QUADRO NEGRO,PEDÁGIOS E DEZENAS DE OUTRAS MUTRETAS FAZEM QUESTÃO DE VEICULAR POUCO PARA CAIR NO ESQUECIMENTO,O HONORÁVEL CAMPANA É ESPECIALISTA POIS JÁ COMANDOU DIVERSAS CAMPANHAS E SABE COMO NINGUÉM COMO ISSO FUNCIONA.

  2. Olha o Sergio Silvestre aí gente! Este camaradinha não estava preso? Dizem que uma delação premiada colocou o nome dele na relação. Vamos esperar para ver logo após a posse do Capitão Jair Messias Bolsonaro na Presidência da República quando a cúpula da Lava Jato vai mudar.. Será que o Sergio Silvestre sabe que tivemos uma eleição geral e o PT dele sumiu e o vencedor foi o representante de um partido que não tinha 10 segundos de televisão?

  3. Marcelo Vieira Responder

    Já reclamava do pedágio ser quase vinte reais… agora sabendo que tá patrocinando a propina da Gleisi… Pá cá bá…

Comente